PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Prévias na Geórgia colocam à prova peso de Trump entre republicanos

24/05/2022 17h57

Atlanta, Estados Unidos, 24 Mai 2022 (AFP) - O peso de Donald Trump no Partido Republicano, e sua afirmação de que sua reeleição foi roubada em 2020, serão colocados à prova nesta terça-feira (24), quando o estado da Geórgia escolherá seus candidatos para as eleições de meio de mandato em novembro.

Outros quatro estados - Texas, Arkansas, Alabama e Minnesota - também vão às urnas nesta terça-feira com vistas às eleições de novembro, que determinarão qual partido vai controlar o Senado e a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos durante o restante do mandato do presidente Joe Biden.

Mas todos os olhos estão voltados para a Geórgia, onde as feridas do pleito presidencial de 2020 continuam abertas dois anos depois de Trump perder para Biden no estado por uma margem muito estreita.

As primárias deste estado do sudeste dos Estados Unidos incluem disputas para governador, secretário de Estado e cadeiras no Senado e na Câmara, entre outros cargos.

No lado republicano, os candidatos se dividem entre os que apoiam a ideia de Trump de uma fraude eleitoral maciça, nunca comprovada, e os que rejeitam a "Grande Mentira" do ex-presidente.

O atual governador Brian Kemp, que se negou a anular os resultados das eleições de 2020, está 20 pontos à frente do candidato apoiado por Trump, David Perdue, que focou sua campanha em afirmações falsas sobre as eleições de 2020.

Trump, que depositou grande parte de seu capital político na disputa, poderia acabar sendo humilhado se a vantagem de Kemp for mantida, o que solaparia sua tentativa de fazer de seu apoio a nível nacional um sinal de sua contínua influência sobre o partido.

Após investir 2,5 milhões de dólares de seus próprios recursos de campanha na corrida de Perdue, Trump parece ter jogado a toalha: fez apenas uma declaração escrita de apoio de última hora, ao invés de visitar o estado durante a reta final.

- Trump vs. Pence -A confiança de Kemp em sua vitória ficou evidente na segunda-feira em um comício com o ex-vice-presidente de Trump, Mike Pence, onde nenhum dos dois mencionou Perdue uma única vez.

"Eu estava com Brian Kemp antes que ele fosse 'cool' [genial]", disse Pence às centenas de pessoas que o celebravam nos arredores de Atlanta.

O apoio de Pence a um candidato desabonado por Trump marca um confronto de alto perfil entre ambos, e destaca a disputa interna no Partido Republicano sobre o futuro da legenda.

A corrida para o cargo de secretário de Estado também é considerada importante, já que nos Estados Unidos estes são os funcionários que supervisionam o processo eleitoral.

Na Geórgia, Trump se opõe a Brad Raffensperger, que busca a reeleição. Seu desafiante, Jody Hice, é um dos mais de dez candidatos apoiados por Trump em todos os Estados Unidos que buscam cargos de secretários de Estado estaduais e que afirmam que houve fraude nas eleições de 2020.

Hice também estava entre os 147 republicanos da Câmara dos Representantes dos EUA que votaram contra certificar os resultados de Biden, sem provas de fraude eleitoral.

Raffensperger e Hice estavam empatados em uma pesquisa publicada pelo Atlanta Journal-Constitution e a Universidade da Geórgia.

Trump também apoia na Geórgia o ex-astro do futebol americano Herschel Walker, que busca a vitória nas primárias republicanas para depois desbancar no Senado o democrata Raphael Warnock.

Warnock e outro democrata, Jon Ossoff, venceram em janeiro de 2021 os republicanos no segundo turno das eleições para o Senado na Geórgia, dando ao Partido Democrata o controle da Casa.

Os democratas da Geórgia estão fazendo o possível para consolidar essas conquistas, incentivados pela notícia de que a estrela da campanha democrata, Stacey Abrams, está retomando sua candidatura ao governo estadual.

Abrams não tem oposição em sua tentativa para derrotar Kemp em novembro e espera-se que Warnock vença nas primárias.

ft-ad/gm/rpr/mvv