Reino Unido acusa Grécia de descumprir compromisso de não falar dos frisos do Partenon

O governo britânico explicou nesta terça-feira (28) que cancelou uma reunião entre o primeiro-ministro e seu homólogo grego porque este último teria descumprido seu compromisso de não abordar publicamente a questão dos mármores do Partenon.

O cancelamento do encontro, previsto para esta terça-feira em Londres, provocou o "descontentamento" do primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, que na segunda-feira afirmou que "esperava ter a oportunidade" de discutir com Rishi Sunak sobre os frisos expostos no Museu Britânico de Londres.

Segundo Downing Street, "ao solicitar uma reunião esta semana", "o governo grego garantiu que não utilizaria a visita como plataforma para discutir a questão da propriedade das esculturas do Partenon". 

"Como estas garantias não foram cumpridas, o primeiro-ministro considerou que não seria produtivo ter uma reunião dominada por este tema", disse o porta-voz de Sunak.

Atenas reivindica há décadas a devolução das esculturas, alegando que sofreram um "saque" quando a Grécia estava sob ocupação otomana. 

O Reino Unido, ao contrário, afirma que as peças foram "adquiridas legalmente" em 1802 pelo diplomata britânico Lord Elgin, que as vendeu ao Museu Britânico.

"A questão dos frisos estava na pauta do encontro, entre outros assuntos bilaterais, como esteve no passado", disse uma fonte governamental grega, que informou que Mitsotakis havia encurtado sua visita. "Downing Street estava ciente", acrescentou a fonte.

O porta-voz de Sunak destacou que o vice-primeiro-ministro britânico, Oliver Dowden, estava "disponível para reunir-se com o líder grego", expressando sua decepção pelo fato de que a proposta não foi aceita.

Rishi Sunak estima que os mármores são "bens importantes" para o Reino Unido, que "salvaguardou" este patrimônio por "gerações", afirmou o porta-voz na segunda-feira. 

Continua após a publicidade

O templo do Partenon, localizado no alto da Acrópole de Atenas, foi construído no século V antes de Cristo.

O novo Museu da Acrópole, inaugurado em 2009, reservou um local para os frisos que estão em Londres.

spe-hec/psr/jvb/jc/ic

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes