Ministros de Defesa da aliança Aukus se reúnem na Califórnia

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, se reunirá com seus homólogos britânico e australiano nesta sexta-feira (1°) no Vale do Silício, na Califórnia, onde terão uma reunião sobre a aliança militar Aukus entre os três países. 

Os altos funcionários vão discutir o desenvolvimento de um submarino de propulsão nuclear e de outras tecnologias com o objetivo de conter as ambições militares da China. 

A Austrália deve comprar dos Estados Unidos três submarinos nucleares ao longo da década de 2030, segundo os termos da aliança Aukus, antes que Camberra e Londres desenvolvam em conjunto um novo modelo de submarino de ataque que inclui tecnologia americana. Esses não terão ogivas nucleares. 

O americano Lloyd Austin, o australiano Richard Marles e o britânico Grant Shapps "fornecerão novas informações importantes sobre a parceria" Aukus após o encontro, indicou o Pentágono. 

A China condena tal acordo por ver nele uma ameaça à sua segurança assim como uma infração às normas de não proliferação nuclear. De acordo com Pequim, "os três países se comprometem cada vez mais com um caminho equivocado e perigoso". 

Em setembro de 2021, o governo australiano cancelou subitamente um contrato de 90 bilhões de dólares australianos (60 bilhões de dólares ou 294 bilhões de reais) para adquirir submarinos do francês Naval Group de propulsão convencional, o que provocou irritação em Paris. 

Os submarinos Classe Virginia que a Austrália comprará dos EUA são quase duas vezes maiores que seus atuais submarinos Classe Collins, e podem levar até 132 tripulantes, contra 48 do Collins. 

A compra de submarinos de propulsão nuclear inserirá a Austrália em um clube muito seleto de países e à frente dos esforços de Washington para contrabalançar a expansão militar da China na Ásia-Pacífico. 

wd/rle/ube/cjc/ag/mvv

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes