Líderes do G7 acordam restringir importação de diamantes russos

Os líderes do G7 anunciaram, nesta quarta-feira (6), que acordaram restringir as importações de diamantes russos a partir de 2024 como parte das sanções contra a Rússia pela invasão da Ucrânia.

"Vamos introduzir restrições à importação de diamantes não industriais, extraídos, transformados ou produzidos na Rússia, a partir de 1º de janeiro de 2024", afirmaram os líderes em um comunicado após uma cúpula virtual com o presidente ucraniano, Volodimir Zelensky. 

E haverá "mais restrições graduais para a importação de diamantes russos transformados em terceiros países" até 1º de março de 2024, acrescentaram.

Para implementar essas restrições, será estabelecido um "mecanismo robusto de verificação e certificação baseado na rastreabilidade para os diamantes" dentro do G7 - integrado por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, mais a União Europeia como convidado permanente - antes de setembro de 2024, detalha a nota. 

As novas restrições somam-se a uma série de sanções impostas à Rússia por Estados Unidos e outras países por causa da invasão da Ucrânia em fevereiro de 2022.

As anteriores tinham como alvos instituições financeiras, importações de tecnologia e exportações de energia. 

Durante a reunião, os governantes dos membros do G7 prometeram manter a ajuda financeira à Ucrânia para sustentar sua luta contra as tropas russas, que Zelensky teme que se reduza progressivamente diante de outras prioridades.

"Nosso firme compromisso de apoiar a luta da Ucrânia por sua independência, soberania e integridade territorial jamais vacilará", destacou o G7 na nota.

dk/des/erl/dga/llu/rpr/mvv

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora