ONU solicita US$ 1,59 bilhão em ajuda para migrantes venezuelanos

As agências da ONU solicitaram nesta quarta-feira (6) ao menos US$ 1,59 bilhão (cerca de R$ 7,8 bilhões na cotação atual) em 2024 para fornecer ajuda a três milhões de pessoas, uma parte dos refugiados venezuelanos e suas comunidades espalhadas pela América Latina e Caribe.

"Quatro milhões de pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela na região continuam tendo necessidades humanitárias, de proteção e de integração urgentes", alertou em um comunicado conjunto a Plataforma de Coordenação Interinstitucional para Refugiados e Migrantes da Venezuela (R4V, na sigla em inglês), co-liderada pela Agência da ONU para os Refugiados (Acnur) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Dos venezuelanos que foram forçados a deixar o país, 60% conseguiram regularizar sua situação, mas um em cada três na região permanece em situação irregular ou não possui a documentação necessária para ter acesso a empregos dignos, serviços de saúde, moradia ou educação.

Os fundos solicitados apoiarão o acesso a solicitações de asilo, atividades de regulação migratória e de integração socioeconômica, "para que as pessoas refugiadas, migrantes e das comunidades de acolhimento possam alcançar a estabilidade e um futuro melhor", indica o documento.

"Os países da região fizeram um excelente trabalhando acolhendo as pessoas refugiadas e migrantes", afirmou Eduardo Stein, representante especial conjunto da Acnur e da OIM para os refugiados e migrantes da Venezuela, citado no comunicado.

Estas devem continuar facilitando os procedimentos de regularização, "mas as suas capacidades estão no limite", admitiu.

"É necessário um esforço financeiro significativo, previsível, e a longo prazo para garantir que as pessoas venezuelanas tenham acesso a serviços básicos, emprego formal, saúde e educação, para que se integrem de forma efetiva e contribuam aos países que as acolhem", acrescentou Stein.

Um ano após o "Plano de Resposta" da Plataforma R4V, foram recebidos apenas 20% dos fundos solicitados.

De acordo com a Acnur, mais de 7,7 milhões de pessoas deixaram a Venezuela em busca de segurança e uma vida melhor. Mais de 6,5 milhões delas foram acolhidas por países da América Latina e Caribe.

Continua após a publicidade

hgs/mb/yr/aa

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes