Blinken apoia investigação 'minuciosa' sobre ataque a jornalistas no Líbano

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, afirmou, nesta quinta-feira (7), ser "importante e apropriado" o início de "uma investigação completa e minuciosa" sobre o bombardeio israelense que matou um jornalista e feriu outros seis em 13 de outubro no sul do Líbano.

"Entendo que Israel iniciou uma investigação deste tipo e será importante que seja concluída e que possamos ver os resultados", afirmou Blinken ao ser questionado sobre o assunto durante uma coletiva de imprensa ao lado do contraparte britânico, David Cameron.

"É importante e apropriado que se investigue a fundo" o ocorrido, acrescentou.

Uma investigação da Agência France-Presse (AFP) publicada nesta quinta-feira sobre o bombardeio, que matou o jornalista da Reuters Issam Abdallah e feriu outras seis pessoas, incluindo dois jornalistas da AFP, aponta para um projétil de tanque usado apenas pelo Exército israelense nesta região fronteiriça sob forte tensões.

A fotógrafa da AFP Christina Assi, de 28 anos, sofreu ferimentos graves e teve uma das pernas amputadas. Ela segue hospitalizada.

Realizada junto com a Airwars, uma ONG de especialistas independentes em investigações de ataques contra civis em situações de conflito, a investigação revelou que a munição usada no bombardeio é um projétil de tanque de 120 mm, usada somente por Israel nesta região da fronteira com o Líbano.

"Sinto uma admiração extraordinária pelos homens e mulheres em sua profissão que, a cada dia e em todo o mundo, nos lugares mais perigosos do mundo, tentam levar os fatos, as histórias a outras pessoas", disse Blinken.

lb/aem/ag/dga/am

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes