Presidente da COP28 pede 'conclusão do trabalho' na retomada das negociações

O presidente da COP28, Sultan Ahmed Al Jaber, pediu nesta sexta-feira (8) aos representantes de quase 200 países presentes em Dubai a "conclusão do trabalho" após a retomada das negociações climáticas, que devem termina na próxima terça-feira (12).

"Vamos, por favor, concluir este trabalho", pediu a autoridade emiradense aos ministros e funcionários de alto escalão de diversos governos que participam na conferência.

A COP28 é a primeira conferência que faz um balanço da luta contra as mudanças climáticas desde 2015, quando foi assinado o Acordo de Paris, e pode ser a conferência "que mudará as regras do jogo", destacou Al Jaber.

"Temos a possibilidade de (alcançar) uma mudança de paradigma que pode definir a economia mundial e o nosso futuro, além de colocar os mais vulneráveis no centro da ação climática", disse.

Um dos pontos cruciais da COP28 é decidir se na declaração final da reunião, que deve ser divulgada na terça-feira, o mundo aceita que deve "abandonar" os combustíveis fósseis, a principal fonte de energia atualmente.

Países produtores de petróleo e gás, como Arábia Saudita e Rússia, relutam em aceitar tal declaração, que representaria um sinal muito forte na lua contra a mudança climática.

Vários países em desenvolvimento apoiam a esta posição, enquanto outros, como os Estados insulares ameaçados pelo aumento da temperatura no planeta, pedem uma atitude mais determinada em direção ao abandono dos combustíveis fósseis, muito poluentes.

Alguns blocos, incluindo a União Europeia, apoiam a postura mais ambiciosa.

A COP28 iniciou nesta sexta-feira a etapa ministerial, na qual os ministros do Meio Ambiente ou funcionários em cargos equivalentes devem tomar as decisões.

Continua após a publicidade

As decisões devem ser adotadas por consenso nas conferências das partes (COP) da ONU. 

Outra questão debatida em Dubai é a sede da COP29, em 2024. Os negociadores discutem a possibilidade da reunião do próximo ano acontecer no Azerbaijão, indicaram fontes diplomáticas.

Armênia e Azerbaijão, que travam uma batalha militar pela região de Nagorno-Karabakh há décadas, anunciaram em um comunicado a retirada da candidatura armênia para a COP29, o que abre caminho para a escolha da candidatura azeri.

Os dois países bloqueavam a candidatura da nação vizinha.

A COP29 deve acontecer em um país da região da Europa Central ou Leste, segundo as regras da ONU. Outras duas candidaturas estão na disputa, Bulgária e Moldávia, mas a Rússia não aceita a candidatura búlgara ou de qualquer outro país da União Europeia.

jz/acc/fp

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes