Tribunal russo aumenta sentença contra acadêmico crítico para cinco anos de prisão

Um tribunal militar russo de apelações endureceu nesta terça-feira a sentença contra o acadêmico de esquerda Boris Kagarlitsky, um crítico da ofensiva de Moscou na Ucrânia, de multa para cinco anos de prisão. 

Agências de notícias russas citaram a decisão de um juiz do tribunal regional de Moscou que pediu "alteração da sentença e punição de cinco anos a Kargalitsky em uma colônia penal". 

A nova sentença foi proferida duas semanas depois de o proeminente sociólogo e pensador marxista ter sido multado em 600 mil rublos (cerca de 6.570 dólares) por menosprezar a campanha militar do Kremlin nas redes sociais.

A multa foi vista como uma punição rara para Kagarlitsky - acusado de "justificar o terrorismo" - em meio à repressão massiva da Rússia à dissidência. 

Kagarlitsky foi detido em julho de 2023 depois de publicar um comentário nas redes sociais dizendo que um ataque ucraniano à ponte russa na península da Crimeia era "mais ou menos compreensível".

O acadêmico de 65 anos é amplamente reconhecido e escreveu amplamente sobre a sociedade russa e a história política da esquerda. A Rússia o declarou um "agente estrangeiro" em 2022.

bur/mas/zm/aa

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora