Conteúdo publicado há 27 dias

Jornal russo denuncia morte de correspondente na Ucrânia

O jornal russo Izvestia informou neste sábado (20) que um de seus correspondentes de guerra morreu ao ser atingido por um drone ucraniano na região de Zaporizhzhia, no sudeste da Ucrânia.

O ataque ocorreu na sexta-feira (19) enquanto Semyon Eremin e sua equipe retornavam de uma reportagem na cidade de Pryiutne, na linha de frente, explicou o jornal.

"A equipe de filmagem de Eremin foi atacada por vários drones inimigos ao mesmo tempo. O primeiro bombardeio falhou, mas durante o segundo, o jornalista ficou ferido e, por causa disso, morreu", apontou o Izvestia.

De acordo com o veículo, o jornalista, de 42 anos, já havia coberto os eventos na linha de frente, na região de Donetsk, incluindo a cidade de Mariúpol, no leste da Ucrânia.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zajárova, condenou veementemente o ataque em um comunicado, afirmando que constituiu um "ato de vingança" pelo trabalho jornalístico que o repórter realizava.

"Pedimos que organizações internacionais e estruturas dos direitos humanos condenem imediatamente e firmemente (este) assassinato brutal de um jornalista russo", declarou.

Pelo menos 15 jornalistas morreram enquanto cobriam o conflito na Ucrânia, de acordo com o Comitê para a Proteção de Jornalistas, uma associação de defesa da liberdade de imprensa.

bur/cw/jvb/avl/ms

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes