Conteúdo publicado há 28 dias

Ucrânia tem o direito de atacar a Rússia, diz chefe da diplomacia da UE

A Ucrânia tem o direito de atacar alvos na Rússia e é necessário equilibrar os temores de uma escalada generalizada da guerra com a necessidade ucraniana de defesa, afirmou nesta terça-feira (28) o chefe da diplomacia da UE, Josep Borrell.

"É necessário equilibrar o risco de escalada e a necessidade de defesa dos ucranianos", disse o diplomata antes do início de uma reunião dos ministros da Defesa da UE.

"Segundo o direito de guerra, é perfeitamente possível e não há contradição. Eu poderia adotar represálias ou lutar contra quem me agride a partir do seu território", disse.

A Ucrânia pressiona os países europeus para ter permissão de utilizar as armas cedidas e transferidas em ataques contra alvos em território da Rússia.

A afirmação de Borrell foi apoiada nesta terça-feira por vários ministros em Bruxelas.

A ministra da Defesa dos Países Baixos, Kajsa Ollongren, afirmou que a nação não tem restrições ao uso das armas transferidas pela Europa em território russo. Também disse esperar que "os países que têm posições diferentes mudem" de ideia".

"É bastante factível que também tenham que atacar dentro da Rússia", disse Ollongren. "Minha perspectiva é que isto não deveria ser debatido", acrescentou.

Hanno Pevkur, da Estônia, disse esperar que os aliados europeus "também autorizem a Ucrânia".

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse na segunda-feira que "chegou o momento" para que os aliados ocidentais reconsiderem as restrições ao uso de suas armas em território russo.

Deixe seu comentário

Só para assinantes