Coreia do Sul alerta Norte que congelamento de bens de empresas é ilegal

A Coreia do Sul acusou hoje (12) a Coreia do Norte de agir "ilegalmente" ao congelar os bens das empresas sul-coreanas e dos trabalhadores expulsos do complexo industrial partilhado de Kaesong.

O ministro da Unificação de Seul, Hong Yong-Pyo, afirmou que a decisão do governo norte-coreano de expulsar as empresas sul-coreanas foi lamentável, acrescentando que o Norte tem de se responsabilizar pelas consequências.

Nessa quinta-feira (11) , a Coreia do Norte anunciou que ia fechar totalmente Kaesong e colocar o complexo sob controle militar.

Todos os sul-coreanos que trabalhavam no local, localizado na Coreia do Norte, a dez quilômetros da fronteira, foram expulsos, sendo apenas autorizados a levar consigo bens pessoais.

O governo de Kim Jong-un determinou também "total congelamento" de todos os bens deixados para trás, incluindo matérias-primas, produtos e equipamentos.

A Coreia do Norte atribuiu as medidas à decisão de Seul, tomada no dia anterior, de suspender as operações das 124 empresas sul-coreanas em Kaesong - uma resposta aos recentes teste nuclear e lançamento de míssil de longo alcance pelo Norte.

"A Coreia do Norte expulsou o nosso pessoal quase sem aviso, impediu-os de levar produtos terminados e congelou ilegalmente bens valiosos", disse Hong.

O ministro condenou também a "medida extrema e injustificada" tomada pelo Norte de cortar as duas únicas linhas de comunicação com o Sul.

"A Coreia do Norte vai ter de assumir a responsabilidade pelo que acontecer daqui para a frente", observou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos