Metroviários de São Paulo aceitam proposta da empresa e suspendem greve

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil

Em assembleia realizada na noite desta terça-feira (31), os trabalhadores do Metrô de São Paulo decidiram aceitar a proposta da empresa e suspenderam a greve da categoria, que estava prevista para amanhã (1º). A decisão da assembleia foi confirmada à Agência Brasil pelo Sindicato dos Metroviários.

A proposta da empresa prevê reajuste de 10,03%, dividido em duas parcelas: a primeira, de 7,5%, retroativa a 1º de maio, e o restante, em novembro. Com isso, o metrô funcionará normalmente nesta quarta-feira.

Tentativa de conciliação

Na tarde de hoje, houve uma nova audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2) entre representantes do Metrô e dos sindicatos que representam os trabalhadores.

Na audiência, o Metrô ofereceu aos trabalhadores o índice que foi sugerido pelo Ministério Público do Trabalho na audiência passada, de 10,03% de reajuste referente à inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe). No entanto, ofereceu o reajuste de forma parcelada: metade seria paga agora em maio e, o restante, em novembro, o que foi recusado pelos trabalhadores.

No início da noite de hoje, pouco antes do início da assembleia dos trabalhadores, o Metrô decidiu oferecer novamente o reajuste de 10,03%, mas pagando 7,5% de imediato [retroativa a 1º de maio] e o restante, em novembro. Os trabalhadores pediam reposição de 10,82% além de 6,59% de aumento real.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos