Goiânia: Rezende diz que suas prioridades serão saúde, educação e trânsito

Danyele Soares

Repórter do Radiojornalismo

  • Reprodução/Facebook Iris Rezende

    Rezende disse que se ajoelhou e agradeceu a Deus quando abriu vantagem sobre o concorrente

    Rezende disse que se ajoelhou e agradeceu a Deus quando abriu vantagem sobre o concorrente

O prefeito eleito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), diz que as prioridades da sua gestão serão saúde, educação e trânsito. Ele venceu Vanderlan Cardoso (PSB) na disputa pelo segundo turno da capital goiana.

Em entrevista coletiva, Iris destacou que pretende melhorar o trânsito na capital e os centros de Assistência Integrada à Saúde (Cais), além de investir em educação em tempo integral.

Emocionado, Rezende disse que quando abriu vantagem sobre o concorrente, se ajoelhou e agradeceu a Deus. Ele lembrou de fatos quando esteve à frente da prefeitura em outras três vezes e garantiu que nunca se privilegiou da posição política para obter vantagens.

"Neste momento em que o mundo político está praticamente hostilizado pela maioria da população brasileira, um político de 82 anos se elege prefeito. Isso porque o meu comportamento em todos os mandatos foi alvo de exemplo. Nunca aceitei ao meu lado aproveitadores ou aqueles que tivessem interesses pessoais."

Após o resultado, o candidato derrotado Vanderlan Cardoso disse que respeita a vontade popular e reconheceu que Íris Rezende era um candidato forte, pois já foi prefeito da capital por três vezes.

"Política é assim mesmo. Quase 300 mil votos aqui em Goiânia é uma vitória. Começamos com 11% das intenções de voto, agora fechamos com quase 43%. Acho que faltou a população entender que o nosso projeto era para desenvolver Goiânia. Só tenho que desejar que o candidato tenha condições de cumprir todas as promessas. Não houve erros na nossa campanha, só houve acertos", disse.

E garantiu que, como oposição, vai cobrar a implementação das propostas apresentadas por Rezende.

Apuração

A forte chuva que atingiu a capital atrasou o início da apuração das urnas. De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral, os votos começariam a ser apurados às 17h10, mas o levantamento começou com cerca de 15 minutos de atraso.

Apesar disso, a eleição na capital foi tranquila, sem nenhuma ocorrência grave, segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO).

Goiânia registrou casos relacionados, por exemplo, a problemas com urnas ou impressoras, ausência de mesários e cadernos de votação perdidos, mas o TRE não soube informar o total de ocorrências no município, declarou apenas que foram 32 casos de problemas com urnas.

O secretário de Tecnologia da Informação do TRE-GO, Dory Rodrigues, explicou que o segundo turno, em geral, é mais tranquilo que o primeiro. Ele disse que neste domingo (30) a cidade ficou limpa, não havia panfletos ou "santinhos" nas ruas.

Rodrigues chamou a atenção para o índice de abstenção. Hoje, 24% dos eleitores não compareceram às urnas. No primeiro turno, o número foi 20%.

"O segundo turno foi mais tranquilo por vários motivos. Uma votação só para o cargo de prefeito torna a votação mais simples para o eleitor, ele faz isso de maneira mais rápida. O cidadão também passou pelo primeiro turno, se acostumou com a urna. O mesário também pega o jeito de identificar o eleitor, mas nós percebemos que houve uma ausência maior no segundo turno em relação ao primeiro."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos