PUBLICIDADE
Topo

Leilão de distribuidora da Celg tem pelo menos um interessado, diz ministro

Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil

28/11/2016 15h29

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, disse hoje (28) que o leilão da distribuidora de energia de Goiás, Celg D, que ocorre na próxima quarta-feira (30) na sede da BM&F, em São Paulo, já recebeu pelo menos uma proposta. Esse é o primeiro processo de privatização na gestão do presidente Michel Temer. Em agosto, houve uma tentativa de venda da Celg D, mas a ação foi frustrada. Segundo o ministro, houve uma reformulação da oferta para tornar o empreendimento mais atrativo. "Estou animado e acho que desta vez conseguimos, na medida do possível, melhorar a atratividade. Acho que será exitoso." Coelho Filho participou em São Paulo do encontro Ethanol/Summit sobre o Futuro do Setor Energético e Energias Renováveis, promovido pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), no World Trade Center (WTC), na zona sul da capital paulista. Segundo o edital do leilão da Celg D publicado no fim de outubro pelo Ministério de Minas e Energia e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o valor mínimo para desestatização da distribuidora é de R$ 1,791 bilhão. O novo controlador terá de cumprir as novas metas de desempenho operacional nos cinco anos subsequentes, com reflexos na melhora substancial do serviço prestado à população atendida. A Celg Distribuição é controlada pela Eletrobras, que detém 50,93% do capital da empresa, atende a 237 municípios do estado de Goiás e tem 2,61 milhões de unidades consumidoras.