PUBLICIDADE
Topo

Universíade: nadador brasileiro é prata nos 50 metros livre

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil*

26/08/2017 11h33

O nadador brasileiro Ítalo Manzine conquistou a medalha de prata na prova mais rápida da natação: os 50 metros livre. Ítalo terminou a prova em 22 segundos e 5 centésimos, exatamente o mesmo tempo que o japonês Katsumi Nakamura, que subiu ao pódio ao seu lado. O vencedor da prova foi o finlandês Ari Pekka Liukkonen, que ficou três centésimos de segundo à frente. Para Ítalo, a medalha na Universíade de Taipei foi a mais importante de sua carreira, mas ele acredita que ela poderia ter sido dourada. Na semifinal, o brasileiro se classificou em primeiro lugar para as finais com um tempo que renderia o ouro se tivesse sido repetido. "Estou muito feliz de ter subido ao pódio. Dava pra ter beliscado o ouro, mas eu senti um pouquinho no final da prova", disse Ítalo. Ítalo contou que sabia que o finlandês seria um adversário difícil, principalmente por conhecer seu preparador físico, o brasileiro Pedro Valadão. Hoje cursando doutorado na Finlândia, o profissional já havia sido o responsável pelo condicionamento físico do próprio Ítalo, no Minas Tênis Clube. "Sei que é um cara super qualificado. Então, sabia que ele [o finlandês] estava muito bem também". Desde 2009, o recorde mundial dos 50 metros livre pertence ao brasileiro César Cielo, que terminou em 20 segundos e 91 centésimos. A marca não foi superada nem nas Olimpíadas de Londres e do Rio de Janeiro. Graciele Hermann e Alessandra Machioro disputaram a final da mesma prova também na noite de hoje, em Taipei. Gracielle chegou em quarto lugar, cinco centésimos atrás da terceira colocada, e Alessandra ficou na sétima posição. Saltos Ornamentais O Brasil também competiu em uma final nos saltos ornamentais, com Luana Moreira, no trampolim de três metros. A saltadora de 21 anos terminou na 10ª posição. No mesmo esporte, o atleta olímpico Jackson Rondinelli se classificou para a final do salto de plataforma de 10 metros, que será disputada às 13h de amanhã (2h da manhã no horário de Brasília). Após errar um salto e ficar de fora da classificação, Rondinelli conseguiu reverter o prejuízo com um salto bem avaliado no final da competição. *O repórter viajou a convite da Confederação Brasileira de Desporto Univesitário