PUBLICIDADE
Topo

Angra dos Reis suspende estado de emergência na segurança

Divulgação
Imagem: Divulgação

28/08/2018 17h36

O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, revogou nesta terça-feira (28) o decreto de emergência na segurança pública do município, editado no dia 21 deste mês, em razão de um plano de segurança pública elaborado pelos órgãos federais para o município e as cidades vizinhas de Paraty e Mangaratiba, na Costa Verde.

Na revogação do decreto, Jordão cita que "a imediata e efetiva intervenção dos órgãos de segurança pública no sentido de combater a criminalidade no território municipal, bem como a desobstrução da Rio-Santos, principal entrada e saída da cidade, condição indispensável para a viabilidade dos Planos de Emergência das Usinas Nucleares [Angra 1 e 2], inclusive sob responsabilidade a cargo do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, revogo o decreto municipal de 21 de agosto último, que entra em vigor a partir de hoje".

Um dia após decretar estado de emergência na segurança pública, o prefeito Fernando Jordão esteve em Brasília e reuniu-se com o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Sérgio Etchegoyen, onde relatou sua preocupação com a onda de violência na cidade, com o aumento da criminalidade e a luta de duas facções criminosas pelo controle do tráfico na região. Angra é uma cidade que vive do turismo, com praias conhecidas internacionalmente, e que acabaram atraindo a criminalidade para a região.

O aumento da criminalidade na região da Costa Verde começou a aumentar após a criação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), em 2010, nos morros e comunidades do Rio de Janeiro.

Na segunda-feira (27), Jordão se encontrou com o secretário estadual de Segurança Pública, general Richard Nunes, de quem recebeu a promessa de que as forças de segurança do estado começariam a agir na região. Já à noite, tropas do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da PM, da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e o batalhão de Angra (33º batalhão) intensificaram às operações na cidade, com ações contra o crime organizado.