Topo

63% são favoráveis ao impeachment de Dilma, diz pesquisa CNT/MDA

Alan Marques/ Folhapress
19.nov.2014 - Manifestantes protestaram nesta quarta-feira (19) pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff durante cerimônia para comemorar o dia da Bandeira, realizada no gramado em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, com uma bandeira nacional gigante Imagem: Alan Marques/ Folhapress

De Brasília

21/07/2015 11h50Atualizada em 21/07/2015 13h54

Levantamento divulgado nesta terça-feira (21) pela CNT/MDA mostrou que 62,8% dos entrevistados são a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Já 32,1% disseram ser contra o afastamento da presidente e 5,1% não souberam responder.

Questionados sobre os motivos que justificariam o impedimento de Dilma, 26,8% consideraram que as chamadas "pedaladas fiscais" justificaria a medida. De acordo com o levantamento, 25% apontaram a corrupção na Petrobras como principal motivo, 14,2% disseram que os indícios de irregularidades na prestação de contas da campanha presidencial de 2014 seriam suficiente para afastá-la do cargo. Para 44,6%, a combinação de todos os motivos anteriores poderiam justificar o impeachment.

Para 37,1% , a corrupção é o principal problema do país, e 53,4% consideraram que é um dos problemas do Brasil. Só 7,8% acreditam que a corrupção é um problema, mas não está entre os principais.

No que se refere às crises da atualidade, 60,4% dos entrevistados disseram que a crise econômica é mais grave. Já 36,2% apontaram a crise política como mais grave.

Reforma política

O levantamento também ouviu a opinião dos entrevistados sobre reforma política. Segundo a pesquisa, 67,5% se mostrou à favor do fim da reeleição para cargos eletivos públicos, 28% se disse contra e 4,5% não respondeu.

Sobre doações empresariais, 16,6% se mostrou à favor e 78,1% contrário. Não souberam responder 5,3%.