Topo

Ex-sócio diz à PF que comprou casa da mãe de Dirceu

Marcello Casal/Agência Brasil
Na última terça, o ex-ministro José Dirceu foi levado de Brasília para a sede da PF em Curitiba Imagem: Marcello Casal/Agência Brasil

Em São Paulo e Curitiba

2015-08-06T20:12:00

06/08/2015 20h12

O ex-sócio de José Dirceu na empresa de consultoria JD Asssessoria e Consultoria, Julio César dos Santos, afirmou à Polícia Federal, nesta quarta-feira, 5, que comprou e registrou a casa da mãe do ex-ministro, em Passa Quatro (MG), entre 2004 e 2005. Os dois estão presos desde segunda-feira, alvos da Operação Pixuleco - 17ª fase da Lava Jato.

A residência de dona Olga Guedes da Silva, de 94 anos, teria sido comprada pelo valor de R$ 250 mil. A aquisição ocorreu durante o período em que Dirceu foi ministro-chefe da Casa Civil no governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Para o delegado da Polícia Federal Márcio Adriano Anselmo, que integra a equipe da Lava Jato, o uso do nome de empresa do ex-sócio pode ter sido adotado como forma de ocultar a propriedade do imóvel.

"O Julio alega que comprou em razão de ser amigo pessoal do Dirceu", disse o delegado.

A prisão temporária de Julio César vence esta semana. Ele foi sócio do ex-ministro na JD Assessoria e Consultoria até 2012. A empresa foi usada pelo ex-ministro, após ele deixar o governo Lula, em 2005, para prestar consultoria e dar palestras. Investigadores da Lava Jato sustentam, porém, que a firma serviu para ocultar propina do esquema de cartel e corrupção na Petrobras - em oito anos de atividades, a JD faturou R$ 39 milhões, dos quais R$ 21,3 milhões em depósitos mensais e ininterruptos realizados por apenas três grupos empresariais.

Durante o governo Marta Suplicy (PT), na Prefeitura de São Paulo, Julio César dos Santos foi diretor da Anhembi Turismo, atual SP Turis. Trabalhou também com o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira, flagrado no mensalão recebendo um Land Rover de presente de uma empreiteira que mantinha contrato com a Petrobras.

"O Julio pode ter sido usado para ocultação de patrimônio. São dois terrenos juntos. Tem a casa, que está em nome dele, e uma outra que foi comprada pelo Julio e tinha um contrato de gaveta ali."

Dirceu já é suspeito de ter recebido imóveis e reformas do lobista Milton Pascowitch, como forma de ocultar propina desviada da Petrobras. Uma dessas casas está também registrada em nome da TGS Consultoria, empresa do ex-sócio de Dirceu.

Buscas

O delegado afirmou que importante material foi apreendido na casa do irmão e atual sócio de Dirceu na JD, Luiz Eduardo Oliveira e Silva, em Ribeirão Preto.

O irmão de Dirceu, que passou a ser um de seus contatos com o esquema após o ex-ministro ser condenado no mensalão, seria ouvido pela PF na tarde desta quinta-feira, 6. Ele foi preso temporariamente na segunda-feira, 3, pela Operação Pixuleco.

Mais Notícias