Procurador-geral diz que nomeação de Lula como ministro "é problema dele"

Em Paris

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou nesta quarta-feira (16), em Paris, que a eventual entrada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no ministério da presidente Dilma Rousseff "é problema dele" e não muda nada para a PGR (Procuradoria Geral da República).

"Isso é problema dele, não é meu. Não é problema para mim não", disse Janot. Questionado se Lula, ao obter imunidade por tornar-se ministro, não teria a vida mais fácil no que diz respeito às investigações da operação Lava Jato, o procurador-geral foi lacônico. "Não sei", afirmou.

A respeito da possibilidade de reabertura do caso mensalão a partir de uma eventual delação premiada de Marcos Valério, o publicitário e ex-operador do PT no caso, Janot não descartou. "Não sei. Sobre o que a gente vai fazer eu não falo", argumentou em um primeiro momento. A seguir, admitiu a possibilidade. "Tudo pode. A lei não proíbe que haja uma colaboração após condenação", lembrou.

Janot está em Paris participando de um evento sobre cooperação internacional para o combate à corrupção na OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos