Dilma diz que 'crise econômica era precificada, crise política, não'

Brasília - A presidente afastada, Dilma Rousseff, citou nesta segunda-feira, 29, o economista e prêmio Nobel Joseph Stiglitz para dizer que "a crise econômica no Brasil estava precificada, o que não estava precificado era a crise política". Foi justamente a crise política que agravou as condições no País, mencionou a petista durante depoimento no Senado Federal.

Dilma disse ainda que a eleição de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a presidência da Câmara dos Deputados transformou-se em uma questão "complexa" para seu governo. "Ficamos diante de ação sistemática, de praticamente uma ação negativa no sentido de não aprovar medidas que mandamos. Somou a isso as chamadas pautas bomba", disse a presidente afastada.

"Em vez de ter medidas para sanar questão fiscal, uma vez que receita caía vertiginosamente, pelo contrário, aumentavam despesas." A petista ressaltou que o apelido de pauta bomba não foi dado por ela, mas sim pela imprensa. Também se enganou ao dizer que Cunha elegeu-se presidência da "Câmara de Vereadores".

Dilma afirmou ainda que não respeita a eleição indireta, fruto de um processo de impeachment sem crime de responsabilidade. A presidente afastada reconheceu que pode ter cometidos erros em seu governo, mas as medidas que propôs eram necessárias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos