Senadora do PSB diz que golpe não é contra Dilma, mas sim contra democracia

São Paulo - A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) afirmou nesta segunda-feira, 29, que, embora não tenha feito parte da base aliada de Dilma Rousseff durante o segundo mandato da petista, considera que o processo de impeachment é, na verdade, um golpe.

Para a senadora baiana, há um rigoroso cumprimento das formalidades do processo, mas o conteúdo jurídico da acusação é insustentável e frágil. "É por isso que o golpe não é contra a senhora (presidente afastada, Dilma Rousseff), mas sim contra a democracia. É resultado de trama, conspiração, unida a um alto grau de traição de seus aliados", disse a senadora, 13ª inscrita a falar durante o julgamento de Dilma no Senado.

Para Lídice, usa-se a crise econômica como pretexto para impor um novo programa de governo ao povo, "por meio do qual os direitos são suprimidos e o patrimônio, entregue". Ao fim de sua fala, a senadora perguntou a Dilma que influência tiveram na crise "as ações protagonizadas pelo senhor Eduardo Cunha (ex-presidente da Câmara), até hoje não cassado, com a aprovação de pautas-bomba".

Também questionou quais devem ser os efeitos das medidas econômicas propostas pelo governo interino de Michel Temer. "Me parece que a ponte para o futuro é menos para o futuro e mais para chegar rapidamente e ilegitimamente ao governo", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos