Após tumulto na Câmara, PT e Holiday trocam pedidos de cassação

Em São Paulo

  • Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

    Vereador Fernando Holiday (DEM) pediu a cassação de Juliana Cardoso (PT)

    Vereador Fernando Holiday (DEM) pediu a cassação de Juliana Cardoso (PT)

Depois do tumulto envolvendo os vereadores Juliana Cardoso (PT) e Fernando Holiday (DEM) no plenário da Câmara Municipal de São Paulo na última sexta-feira (10), o coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL) e a bancada do PT trocaram pedidos de cassação de mandato por quebra de decoro parlamentar.

Os dois pedidos foram protocolados nesta semana na Corregedoria do Legislativo, e a admissibilidade de ambos precisa ser aprovada por maioria qualificada (37 votos) no plenário da Casa para que seja aberto um processo interno para apurar a conduta dos vereadores.

Reprodução/Facebook
Em defesa de Juliana Cardoso, a bancada do PT pediu a cassação de Holiday

Na última sexta-feira, Juliana interrompeu a sessão e acusou assessores de Holiday de invadirem e agredirem assessores petistas dentro do gabinete da liderança do partido, no 6º andar. A petista foi aos gritos na direção do democrata e foi contida por outros vereadores.

Depois da confusão, o coordenador do MBL deu uma outra versão dos fatos, dizendo que foi um parceiro do movimento, o youtuber Arthur Moledo do Val, quem foi agredido pelos petistas, e que um de seus assessores apenas o acompanhava. As trocas de acusações se proliferaram nas redes sociais.

Oficialmente, a Câmara informou apenas que "duas pessoas adentraram uma reunião privada do PT sem a devida autorização" e que "a apuração inicial da PM disse que não houve agressão física", mas que todos os envolvidos seriam ouvidos. "A presidência da Câmara tomará todas as medidas necessárias para resolver o lamentável ocorrido".

Fla x Flu

No pedido de cassação de Juliana Cardoso, protocolado na última segunda-feira (13), Holiday afirma que a petista fez "ofensas verbais" a ele com "adjetivos indecorosos" e que "tentou agredi-lo fisicamente", conseguindo "empurrá-lo".

Na quarta-feira (15), o líder do PT na Câmara, Antonio Donato, protocolou em nome da bancada do partido o pedido de cassação de Holiday, afirmando que um assessor e uma pessoa ligada ao mandato do democrata "invadiram uma atividade na sala de reuniões da Liderança do PT" e que o próprio vereador "tem usado a estrutura do Poder Legislativo para ofender e caluniar o Partido dos Trabalhadores, seus parlamentares e a militância petista".

O MBL do qual Holiday faz parte, foi um dos movimentos que lideraram as manifestações a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 2016.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos