Empresa Quero esclarece que lote de extrato tomate inadequado já foi recolhido

Brasília - A Quero Alimentos informou na manhã desta segunda-feira, 20,, por meio de nota, que a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proibiu a comercialização de um lote de extrato de tomate fabricado pela empresa refere-se a um caso de meados do ano passado e que "já tomou as providências aplicáveis para retirar todo o referido lote do mercado em agosto de 2016, quando tomou ciência do ocorrido".

Resolução da Anvisa, publicada no Diário Oficial da União (DOU) e divulgada mais cedo, proibiu a venda e a distribuição de um lote do extrato de tomate da marca Quero, fabricado pela Heinz Brasil, após laudo que constatou presença de pelo de roedor no produto.

Segundo a Anvisa, o laudo "apresentou resultado insatisfatório ao detectar matéria estranha indicativa de risco à saúde humana, pelo de roedor, acima do limite máximo de tolerância pela legislação vigente". A punição foi sobre o "lote L. 11 07:35 do produto extrato de tomate da marca Quero, produzido por Heinz Brasil S.A".

A Quero Alimentos afirmou que a publicação do Diário Oficial desta segunda foi um ato meramente protocolar e ressaltou que, nos últimos anos, fez grandes investimentos em novas tecnologias para aumentar ainda mais a qualidade do tomate no campo e de seus produtos - e que os rigorosos controles no processo produtivo garantem a eliminação de qualquer risco ou prejuízo à saúde".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos