Médica é baleada no braço após fazer trabalho social em favela do Rio

Fábio Grellet

Rio

Uma médica que realiza trabalho assistencial no complexo de favelas da Maré, na zona norte do Rio, foi cercada por criminosos e atingida por um tiro no braço enquanto saía da comunidade, por volta das 11h desta quarta-feira, 26.

Ela foi levada ao hospital e passa bem. Ninguém foi preso. Klayne Moura Teixeira de Souza, de 28 anos, faz residência médica no Hospital Municipal Miguel Couto, no centro do Rio, e também atua voluntariamente na Maré.

Segundo a Polícia Civil, ela dirigia seu carro rumo ao centro, após trabalhar em um projeto social, quando foi interceptada por criminosos. A médica teria acelerado, tentando fugir, e um dos bandidos atirou. Atingida em um dos braços, ela foi socorrida ao próprio Miguel Couto, onde até o início da tarde estava internada em estado estável, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

A pasta informou que havia previsão de que ela recebesse alta hoje. Os criminosos fugiram e não haviam sido identificados até a tarde desta quarta.

Klayne é cearense e se formou em Medicina em 2013, no Centro Universitário Uninovafapi, em Teresina (PI).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos