PUBLICIDADE
Topo

Padilha e Moreira não falam; Kassab nega acusações

Carla Araújo

Brasília

28/04/2017 12h14

Três ministros dos governo de Michel Temer se manifestaram sobre a decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República de abrir investigação contra eles.

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse nesta quinta-feira, 27, por meio de sua assessoria, que só vai se pronunciar quando for notificado oficialmente sobre a decisão da Comissão de Ética da Presidência.

O ministro Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência, afirmou, também via assessoria, que não recebeu "nenhuma comunicação oficial" sobre a decisão.

Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) disse que "sempre pautou sua atuação pela ética e pelo cumprimento da legislação."

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República abriu investigação contra os ministros por supostas infrações éticas no relacionamento com executivos da Odebrecht.

A decisão foi tomada após duas denúncias recebidas pelo colegiado - uma feita pelos deputados petistas Afonso Florence (BA) e Robinson Almeida (BA) e outra feita por um advogado chamado Mariel Marley Marra. Os três ministros terão o prazo de 10 dias para prestar esclarecimentos à Comissão, a partir da notificação, que deve acontecer nesta sexta-feira, 28. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.