Tucano deixa CPI da JBS após escolha de aliado de Temer como relator

Thiago Faria e Renan Truffi

Brasília

  • Foto: ABr

A escolha do deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) como relator da CPI mista da JBS já provocou a primeira baixa na comissão de inquérito. O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) pediu o afastamento do colegiado nesta terça-feira, 12. Ferraço faz parte do grupo que defendia o desembarque do PSDB do governo de Michel Temer.

 

A saída deve ser acompanhada por outros parlamentares do partido que integram o colegiado, como os deputados João Gualberto (PSDB-BA) e Rocha (PSDB-AC).

 

Marun foi um dos mais fiéis aliados do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e faz parte da tropa de choque de Michel Temer. O deputado teve entre seus doadores de campanha a própria empresa alvo da CPI mista. Ele recebeu, por meio de repasses de outros candidatos, R$ 103 mil em 2014.

 

A escolha de Marun como relator da CPI é vista como uma forma de o governo usar a comissão para atacar os delatores da JBS e o próprio procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A previsão é que requerimentos para que eles prestem depoimento sejam votados na reunião prevista para a tarde desta terça-feira.

 

No acordo de delação, que pode ser revisto pelo procurador-geral, os executivos da JBS implicam diretamente Temer e alguns de seus aliados, como o presidente afastado do PSDB, Aécio Neves.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos