Protagonismo excessivo do Judiciário é prejudicial, avalia Gilmar

Fernanda Nunes

Rio

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes afirmou que "um protagonismo excessivo do Judiciário é prejudicial" e que o pior é "a ditadura do politicamente correto" dentro do Tribunal.

Como exemplo, citou uma tentativa da 1ª Turma do STF de validar o aborto. "É preciso cuidado para não colocar nossa pauta (pessoal) no lugar da Constituição", disse o ministro, em palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

Ao ser questionado sobre crises entre o Legislativo e o Judiciário, Mendes mencionou rapidamente, sem se estender, o episódio envolvendo o senador Aécio Neves (PSDB), afastado do cargo pelo STF, o que chamou de fricção entre os dois Poderes. "Não me parece que crises vão desandar em crises institucionais. Desenvolvemos maturidade e capacidade de encontrar soluções", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos