Huck deve anunciar nesta segunda-feira que não é candidato

Andreza Matais, com colaboração de Gilberto Amendola

Brasília

O apresentador Luciano Huck disse a interlocutores que deve anunciar nesta segunda-feira, 27, que não pretende se candidatar à eleição presidencial de 2018. A manifestação viria por meio de um artigo que teria escrito para um jornal e de comunicados ao PPS, com quem vinha conversando sobre sua filiação, e ao Agora!, movimento formado para pensar a política.

Huck tem uma reunião com o Agora! nesta segunda-feira. Ele também estará presente em um evento da revista Veja. O presidente nacional do PPS, Roberto Freire (SP), afirmou que não foi informado por Huck de sua eventual decisão. Mas duas fontes com acesso ao apresentador contam que ele já teria concluído por não disputar.

Na última quinta-feira, dia 23, a pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos revelou que a aprovação de Huck subiu para 60%, a maior entre todos os demais nomes cotados para a disputa presidencial do próximo ano. A partir da divulgação dos dados, as pressões para que o apresentador declarasse sua candidatura se intensificaram.

Huck teria decidido antecipar o anúncio de sua decisão do dia 15 de dezembro para esta segunda por temer que as pesquisas o colocassem num patamar que tornasse o recuo inviável. Embora o levantamento do Estadão-Ipsos não tenha relação com intenção de votos, ele reflete o potencial de crescimento do nome de Huck e seus interlocutores o alertaram disso.

Pesquisas internas encomendadas por Huck mensalmente também mostraram que, num cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ele já aparece em segundo lugar, empatado com Marina Silva (Rede). Isso sem fazer campanha alguma.

O colunista do jornal O Globo Lauro Jardim também divulgou que, mesmo fora da disputa pela Presidência, Huck permanecerá ativo em movimentos cívicos, como o Agora! e o Renova BR. A TV Globo já havia informado que, assim como seus outros funcionários, o apresentador precisaria comunicar sua decisão com antecedência à emissora. Pessoas próximas do apresentador também afirmaram que a "pressão" da emissora e a opinião da mulher, a também apresentadora Angélica, teriam pesado na decisão final.

Propostas

Nos últimos meses, Huck conversou com partidos, como o PPS e o DEM. As duas legendas abriram as portas para o apresentador e, em momentos distintos, empolgaram-se com a hipótese de um candidato tão midiático e com potencial. As conversas com o DEM minguaram por influência do Agora!. A avaliação do movimento é de que o partido não representaria a necessidade de "renovação" propagada pelo grupo e não estaria disposto a ceder a legenda para candidatos de fora da estrutura partidária.

Já com o PPS, as conversas avançaram muito mais. No início do mês, Huck chegou a participar de uma reunião na casa do ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, com Freire e Raul Jungmann, para sinalizar ao PPS que ela seria a legenda escolhida caso ele decidisse se candidatar. Com a negativa do apresentador, o partido de Freire deve se inclinar pelo apoio ao presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos