Exportadores de grãos estão mais confiantes com rotas no Mar Negro

Kiev, 28 - Um número crescente de navios tem se dirigido aos portos da Ucrânia no Mar Negro para carregar grãos, metais e outras cargas, apesar da ameaça de ataques e minas explosivas da Rússia. Isso ocorre porque os exportadores têm se mostrado mais confiantes para utilizar o corredor humanitário implementado pelos ucranianos para facilitar as exportações. O movimento fortalece a economia do país, dependente da agricultura, e traz de volta um fornecedor essencial de trigo, milho, cevada, óleo de girassol e outros alimentos para países que enfrentam a fome em partes da África, Oriente Médio e Ásia.

"Estamos vendo uma confiança renovada entre operadores comerciais ansiosos para transportar cargas de grãos ucranianos", disse o chefe de Operações da Vessel Protect, Munro Anderson, que avalia os riscos de guerra no mar e fornece seguros com respaldo da corretora Lloyd's.

Já Ihor Osmachko, diretor-geral do Grupo Agroprosperis, um dos maiores produtores e exportadores agrícolas da Ucrânia, disse que se sente "mais otimista do que há dois meses".

Desde o início das operações no corredor humanitário da Ucrânia no Mar Negro, em meados de setembro, a principal questão sobre a rota é relacionada à segurança. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, disse que os aliados concordaram em fornecer navios para ajudar o país a proteger embarcações comerciais, mas que são necessários mais sistemas de defesa aérea. "A defesa aérea está em falta", disse a repórteres no sábado, em uma cúpula internacional de segurança alimentar em Kiev. "Mas o importante é que temos acordos, temos um sinal positivo e o corredor está operacional", acrescentou.

Embora um ataque com mísseis contra o porto de Odessa tenha atingido um navio comercial neste mês, seguradoras, corretores e bancos se uniram ao governo ucraniano para anunciar a cobertura para embarques de grãos no Mar Negro, o que tranquilizou os transportadores.

"A maneira como estão transportando agora é certamente muito mais cara e demorada", disse o analista sênior de pesquisa na empresa de dados e análises agrícolas Gro Intelligence, Kelly Goughary. "Mas eles estão conseguindo colocar o produto para fora, o que é melhor do que muitos antecipavam com o fim da iniciativa de grãos", afirmou.

Até o momento, a Ucrânia exportou mais de 5,6 milhões de toneladas de grãos e outros produtos pelo novo corredor, segundo informações da embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia, Bridget Brink.

Antes da guerra, esse número era quase o dobro por mês, disse o vice-ministro da Economia da Ucrânia, Taras Kachka. Com a rota, a Ucrânia espera exportar pelo menos 6 milhões de toneladas de grãos por mês, segundo o ministro da Agricultura da Ucrânia, Mykola Solskyi. Há muito trabalho a ser feito: o país exportou 4,3 milhões de toneladas de grãos em outubro por todas as rotas, afirmou o ministério. Fonte: Associated Press

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes