John Deere investe R$ 180 mi em Centro de Desenvolvimento de Tecnologia no Brasil

São Paulo, 30 - A John Deere, empresa global de tecnologia que fornece software e equipamentos para os setores agrícola, anunciou nesta quinta-feira, 30, o lançamento de um novo Centro de Desenvolvimento de Tecnologia no Brasil. A unidade em construção em Indaiatuba (SP), que será a 12ª da John Deere no País, é fruto de um investimento de R$ 180 milhões.

O centro será o primeiro com foco em desenvolvimento e testes para a agricultura tropical do mundo, "tropicalizando" tecnologias já existentes na Europa e desenvolvendo novas, e terá produção focada em grãos, cana-de-açúcar e cultivos especiais. A inauguração está prevista para o final de 2024.

"A Deere está comprometida em responder de maneira ágil às demandas do mercado brasileiro, desenvolvendo soluções adequadas para a agricultura tropical", disse a diretora de Inovação para América Latina, Heather Van Nest, a jornalistas.

Segundo ela, a empresa não tem nenhuma outra instalação global que integre sistemas de produção, agricultura de precisão, o projeto Precision Upgrade, de atualização de máquinas, e equipes de testes em um único local. "Não temos nada igual no mundo hoje e muito menos na agricultura tropical", acrescentou ainda o presidente da John Deere Brasil, Antonio Carrere.

De acordo com Carrere, a unidade permitirá que os produtos sejam concebidos e testados em território brasileiro, considerando variáveis como solo, clima e níveis de conectividade. "Isso contribuirá para que as soluções sejam entregues aos clientes locais mais rapidamente e para que eles possam trabalhar de forma ainda mais produtiva, rentável e sustentável, sendo pequenos, médios ou grandes produtores brasileiros", ressaltou. A expectativa é de reduzir em até 40% o tempo de desenvolvimento de novas soluções, dependendo do tipo de projeto.

A nova unidade terá área de 500 mil m2 e cerca de 150 colaboradores das áreas de engenharia, pesquisa e desenvolvimento trabalharão no local.

A John Deere já tem produtos específicos para o mercado local, como a colhedora de cana de duas linhas CH950 e a colheitadeira de grãos S400, criada em prol das pequenas e médias propriedades. O Centro de Agricultura de Precisão e Inovação (CAPI), criado em 2017 para pesquisa e desenvolvimento, será integrado à nova unidade em Indaiatuba.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes