Ministro do Turismo pede exoneração; saída deve ser temporária para apresentação de emendas

O ministro do Turismo, Celso Sabino, foi exonerado, a pedido, do cargo, conforme Decreto publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 30. No entanto, a saída deve ser temporária. Sabino deve reassumir seu mandato de deputado federal para apresentar emendas de seu interesse à Lei Orçamentária Anual de 2024.

A prática é comum entre ministros que têm mandato parlamentar. Na semana passada, o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, também pediu exoneração do cargo, reassumiu sem mandato de senador para ordenação de emendas parlamentares e dois dias depois voltou ao ministério.

A edição desta quinta-feira do DOU traz ainda decreto que designa Carlos Henrique Menezes Sobral para exercer o cargo substituto do ministro do Turismo no período de 30 de novembro a 3 de dezembro, período em que Sabino deve ficar fora da pasta.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes