Justiça Eleitoral prorroga inquérito sobre suspeita de compra de votos envolvendo André Fufuca

A Justiça Eleitoral do Maranhão prorrogou por 90 dias o inquérito que investiga o ministro do Esporte, André Fufuca, por suspeita de compra de votos nas eleições de 2018. O pedido foi feito pela Polícia Federal (PF). À época, Fufuca era candidato a deputado federal e foi reeleito com 105.583 votos.

A investigação começou quando policiais federais, a partir de denúncia anônima, flagraram um grupo com saco de dinheiro e santinhos com o nome de Fufuca na cidade de Santa Luzia, no interior do Estado. O caso ocorreu na véspera do primeiro turno do pleito. A informação é do jornal O Globo.

Ao Estadão, o ministro disse que "não compactua com qualquer ato ilícito, não é responsável por ação de terceiros e confia que a Justiça vai esclarecer todos os fatos".

No despacho assinado pelo juiz Bruno Barbosa Pinheiro, a prorrogação do prazo para investigações se dá no intuito de fazer novas diligências para a conclusão do inquérito. "Encerrá-las, nessa fase procedimental, poderia prejudicar a descoberta da verdade e a coleta de provas", disse o magistrado na decisão publicada na segunda-feira, 4. A superintendência da PF no Maranhão, que está conduzindo a apuração do caso, quer ouvir mais oito pessoas que teriam tido contato com os suspeitos de comprar votos na véspera da eleição.

No relatório das investigações, há registro de que os policiais foram a uma casa na cidade de Santa Luzia, onde havia carros com adesivos do Fufuca e movimentações de entrada e saída de pessoas. No momento em que a PF se aproximou do local, um homem tentou esconder um saco de dinheiro em um bueiro. Dentro da sacola havia R$ 5.850, distribuídos em notas de R$ 20, R$ 50 e R$ 100. Já no carro, uma caixa de papelão com santinhos do Fufuca.

Em setembro, o Palácio do Planalto confirmou a ida de Fufuca para o Ministério do Esporte, no lugar de Ana Moser. A troca de comando foi fruto de uma reforma ministerial que colocou nomes do Centrão no governo para ampliar a base de apoio do Executivo no Congresso, a fim de aprovar matérias de interesse da gestão petista. A negociação passou por altos e baixos.

A trajetória política de Fufuca é marcada por posicionamentos que contrariam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Partido dos Trabalhadores (PT). Ele já entregou a tropa de choque do ex-deputado Eduardo Cunha e é apadrinhado pelo atual presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Fufuca é o ministro mais novo da Esplanada. Tem 34 anos, é formada em Medicina e vem de uma família ligada à política. O pai dele, Francisco Dantas Ribeiro Filho, é prefeito do município de Alto Alegre de Pindaré.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora