PF prende três e cumpre nove mandados de busca em investigação de apoio a fugitivos de Mossoró

A Polícia Federal (PF) informou ter cumprido nove mandados de busca e apreensão nesta quarta-feira, 21, nas cidades de Mossoró, no Rio Grande do Norte, Quixeré e Aquiraz, no Ceará. A PF diz que a ação mirava "possíveis envolvidos no fornecimento de apoio" a dois detentos que escaparam do presídio federal situado na cidade potiguar na semana passada.

Uma pessoa foi presa por força de um mandado de prisão temporária pedido pela PF em Mossoró. Na mesma cidade, durante as buscas uma pessoa com mandado de prisão anterior em aberto foi localizado e detido. "Em uma das residências alvo das buscas (em Aquiraz), havia drogas, armamentos e munições. Houve uma prisão em flagrante", informou a polícia, totalizando três presos.

Segundo apurou o Estadão, na manhã desta quinta-feira, 22, o preso detido por força de mandado foi submetido a uma audiência de custódia e a sua prisão foi mantida.

"Foram apreendidos ainda telefones celulares e um veículo que, supostamente, teria sido utilizado no auxílio aos criminosos para fornecimento de armamento a ser empregado na fuga", acrescentou em nota a PF.

O órgão detalhou que, além do inquérito policial, permanece em andamento a operação de recaptura, "integrada pela Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen/MJSP), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria de Administração Penitenciária do Rio Grande do Norte e Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, representada pela Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros".

Ainda há o reforço da Força Nacional de Segurança Pública, além de policiais dos Estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Goiás, apontou a PF.

As buscas por Deibson Cabral Nascimento, de 34 anos, e Rogério Mendonça, de 36, os primeiros detentos a conseguir fugir de um presídio federal na história do Brasil, chegaram nesta quinta-feira ao nono dia. Segundo as investigações, eles são integrantes da facção criminosa Comando Vermelho. As condições da fuga são investigadas pela Polícia Federal.

O Estadão revelou que o governo federal contratou uma empresa em nome de um "laranja" para fazer obras de manutenção no presídio, que passava por ao menos três intervenções quando dois presos fugiram. Havia movimentação interna para ampliação do pátio de banho de sol, para uma adaptação na recepção de visitantes e, ainda, uma ampliação do alojamento de policiais penais.