Conteúdo publicado há 1 mês

PF afasta servidor por suspeita de assédio sexual dentro da própria corporação

A Polícia Federal afastou preventivamente um servidor investigado por supostos crimes de assédio e importunação sexual nas dependências da corporação em Brasília.

De acordo com as denúncias, ele teria importunado funcionárias terceirizadas da PF.

O investigado é o principal alvo da Operação Me Too, deflagrada nesta quinta, 29. Agentes cumprem três mandados de busca e apreensão para aprofundar o as investigações sobre o caso.

O servidor sob suspeita pode responder pelos crimes de importunação e assédio sexual. A PF não revelou o nome, nem a carreira e a função do suspeito.

Deixe seu comentário

Só para assinantes