Padilha rebate e diz que Zema está descontrolado: 'Café está esfriando'

O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, rebateu neste sábado, 2, críticas do governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), que o acusou de estar mal informado sobre o Estado e não ir para lá há "10 anos ou mais". Padilha reagiu afirmando que esteve em Minas no ano passado e que, na ocasião, não foi recebido pelo gestor mineiro. "O café do governador de MG tá esfriando, por isso, ele está tão descontrolado e perdendo a memória", disse o ministro ao Estadão.

A recente troca de farpas começou na última quinta-feira, 29, quando Padilha esteve em Belo Horizonte e criticou Zema durante evento do PT. Ao falar sobre a negociação da dívida do Estado com a União, afirmou que "tem gente que fala, mas não resolve", sem mencionar o nome do governador da oposição. Padilha é um dos principais assessores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Palácio do Planalto e responde pela articulação política do governo com governadores, prefeitos e parlamentares.

Em entrevista ao Estadão, Zema reagiu afirmando que Padilha não está a par do que acontece em Minas e não visitava o Estado "há 10 anos ou mais". "Não sei se sabe que eu paguei o 13º salário que o governador do partido dele não pagou. Será que ele tem conhecimento disso?", questionou Zema, em referência ao ex-governador Fernando Pimentel (PT).

O governador faz oposição a Lula e esteve no ato em defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) na Avenida Paulista, em São Paulo, no último domingo, 25.

Neste sábado, 2, foi a vez de Padilha fazer a réplica. O ministro esteve em Belo Horizonte na semana passada e também no ano passado, com uma comitiva de ministros. Além disso, o próprio governador mineiro se reuniu com o presidente Lula no dia 8 de fevereiro deste ano.

"Meu pai é mineiro, eu sei que é difícil ficar sem café quente, parece que ele tá ruim de memória. Esqueceu que eu e mais de 20 ministros do presidente Lula fomos a Minas Gerais ano passado levando recursos, equipamentos, viaturas, parcerias, e ele fez o desaforo de não receber ninguém", afirmou o ministro.

A eleição municipal deste ano também divide Lula e Zema. O pré-candidato do PT à prefeitura de Belo Horizonte é o deputado Rogério Correia (PT-MG). Outros partidos da base aliada do governo, como PSD, PDT e PSOL, também têm pré-candidatos. O governador, por outro lado, lançou a secretária de Planejamento e Gestão do Estado, Luísa Barreto (Novo), na disputa. A base bolsonarista tem o deputado estadual Bruno Engler (PL) como possível concorrente.