Itália tenta identificar brasileira ferida em explosão de prédio

Em Gênova

  • Luca Zannaro/AP

Mais de dois dias depois do desabamento de um prédio em Arnasco, na região italiana da Ligúria, que deixou cinco mortos, a polícia segue sem conseguir identificar a brasileira que sobreviveu à tragédia. 

Por enquanto, os investigadores sabem apenas aquilo que ela disse aos médicos assim que foi socorrida: que é do Brasil e que tem 40 anos. Depois, foi sedada e não falou mais nada. As condições da mulher, que está internada em Gênova, são grave.   

Ela poderia ser identificada por meio de impressões digitais, já que seus dedos não estão queimados, ao contrário de outros 80% do seu corpo. No entanto, existe a suspeita de que a brasileira está na Itália irregularmente. Até o momento, ninguém apareceu para procurá-la.   

O desabamento do prédio, provocado por uma explosão causada por um vazamento de gás, ocorreu às 3h da madrugada de sábado (horário local), no momento em que seu amigo, Marco Vegezzi, 49, voltava para casa com ela. O homem é um dos que morreram no incidente.   

Os dois foram encontrados ainda de casaco, e pode ter sido o próprio Vegezzi a desencadear a explosão, ao acender a luz do apartamento. Os dois também poderiam ter um relacionamento amoroso, já que no pequeno distrito de Bezzo, onde ficava o edifício, ninguém tinha ouvido falar da brasileira.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos