Ex-gerente da Petrobras é preso na 39ª fase da Lava Jato

SÃO PAULO, 28 MAR (ANSA) - A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (28) a 39ª fase da Lava Jato, batizada de Operação Paralelo.   


Autorizada pela 13ª Vara Federal de Curitiba, do juiz Sérgio Moro, a etapa incluiu um mandado de prisão preventiva contra o ex-gerente executivo da Petrobras Roberto Gonçalves, sucessor de Pedro Barusco, já condenado pela Lava Jato. Gonçalves foi detido em Roraima, onde visitava familiares.   


O nome "Paralelo" se deve a uma suposta atuação clandestina dos investigados no mercado financeiro. Segundo a PF, uma corretora de valores teria sido usada para movimentar recursos ilícitos e viabilizar pagamentos ilegais de funcionários da Petrobras.   


A fase anterior da Lava Jato havia sido deflagrada em 23 de fevereiro, com o nome de Blackout, para investigar o pagamento de US$ 40 milhões em propinas pelos operadores financeiros Jorge e Bruno Luz, pai e filho presos em Miami pela Interpol.   


Os subornos teriam beneficiado sobretudo peemedebistas, incluindo senadores. Até aqui, a Lava Jato já executou mais de 180 mandados de prisão preventiva ou temporária, 205 de condução coercitiva e cerca de 750 de busca e apreensão.   


Segundo dados da PF, mais de R$ 745 milhões em bens já foram repatriados. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos