PUBLICIDADE
Topo

Haddad não cita Bolsonaro e promete defender 'liberdade'

28/10/2018 21h42

SÃO PAULO, 28 OUT (ANSA) - O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, não parabenizou Jair Bolsonaro durante seu pronunciamento após as eleições e prometeu "defender" a liberdade das mais de 46 milhões de pessoas que votaram no partido.   


Falando ao lado de sua esposa, Ana Estela, e da vice em sua chapa, Manuela D'Ávila, o ex-prefeito de São Paulo não citou o nome de seu adversário e disse que "uma parte expressiva do povo brasileiro precisa ser respeitada neste momento", pois "diverge da maioria e tem outro projeto de Brasil na cabeça".   


"A soberania nacional e a democracia são valores que estão acima de todos nós. Temos uma nação e precisamos defendê-la daqueles que, de maneira desrespeitosa, pretendem usurpar seu patrimônio", disse Haddad.   


Segundo o candidato derrotado, a esquerda tem a "tarefa enorme" de, "em nome da democracia, defender a liberdade dos mais de 45 milhões de brasileiros" que votaram nele. "Temos a responsabilidade de fazer uma oposição colocando os interesses nacionais acima de tudo. Temos compromisso com a prosperidade desse país", disse.   


Em seguida, Haddad parafraseou o hino nacional: "Verás que um professor não foge à luta nem teme quem adora a liberdade à própria morte". "Não vamos deixar esse país para trás. Vamos colocá-lo acima de tudo, respeitando a democracia, mas sem deixar de colocar nosso ponto de vista", acrescentou.   


O petista também afirmou que o partido precisa se "reconectar" com "os pobres desse país" para "retecer um programa de nação que há de sensibilizar mentes e corações". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.