PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Itália autoriza dose de reforço contra a covid-19 para maiores de 60 anos

Ministério da Saúde italiano autorizou aplicação da terceira dose da vacina contra o coronavírus nos idosos - iStock
Ministério da Saúde italiano autorizou aplicação da terceira dose da vacina contra o coronavírus nos idosos Imagem: iStock

08/10/2021 17h02Atualizada em 08/10/2021 17h35

ROMA, 8 OUT (ANSA) - A Itália autorizou nesta sexta-feira (8) a aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19 para idosos maiores de 60 anos e pessoas "frágeis" - que apresentam mais riscos - de todas as idades.

Segundo o Ministério da Saúde, a terceira dose do imunizante deve ser administrada após no mínimo seis meses da conclusão do ciclo primário de vacinação.

Atualmente, a Itália usa apenas as fórmulas de Moderna e Pfizer (ambas de mRNA) para a dose de reforço, que contemplava apenas idosos com mais de 80 anos, trabalhadores de saúde e grupos de risco.

"A Comissão Técnica-Científica da Agência Italiana de Medicamentos (AIFA) autorizou a possibilidade de administração de uma dose de reforço da vacina de mRNA, pelo menos seis meses após a segunda dose (desde a conclusão do ciclo primário), indicando a sua utilização como prioridade para além das categorias já identificadas anteriormente", diz o texto do governo.

A medida foi motivada pelo fato de que os novos grupos se caracterizam por um risco elevado de desenvolverem formas graves da Covid-19. Todas essas pessoas também são orientadas a tomarem a vacina da gripe, de acordo com o Ministério da Saúde.

Até o momento, cerca de 79,85% do público-alvo na Itália (pessoas com 12 anos ou mais) já está totalmente imunizado contra a Covid-19.

Saúde