Natal nos Vinhedos leva emoção da música italiana à Serra Gaúcha

SÃO PAULO, 6 DEZ (ANSA) - Quem visita a Serra Gaúcha logo aprende a cantar e bailar ao ritmo da alegria italiana. As relações culturais com a Itália, cujos imigrantes ajudaram a colonizar a região há quase 150 anos, criaram vigorosos vínculos entre os dois povos. Essa herança se manifesta de diversos modos, como a vocação vitivinícola, a culinária típica e a musicalidade dos grupos do nordeste do Rio Grande do Sul.   

Um pouco dessa italianidade estará presente na segunda edição do Natal nos Vinhedos, entre 8 e 23 de dezembro, em Bento Gonçalves, a 120 quilômetros de Porto Alegre. Com palco montado em meio aos parreirais do icônico Vale dos Vinhedos, o evento reunirá vinícolas e restaurantes da região, ao som de uma vasta programação cultural com inclinação italiana, do folclore do grupo Ragazzi dei Monti à erudição do tenor Dirceu Pastori, passando pelo pop rock da banda Vocal Allegro.   

Com 30 anos de carreira, o conjunto Ragazzi dei Monti acumula mais de mil shows em oito estados do Brasil, além de apresentações no Vêneto, na Itália. "A música folclórica foi e sempre será aquela que retrata a nossa origem, sendo a nossa alma e a nossa forma de homenagear a imigração", diz Alvaro Manzoni, vocalista do grupo de Monte Belo do Sul, cidade vizinha a Bento Gonçalves, e que se apresenta no dia 9.   

Embora o repertório também inclua canções populares e românticas, as composições autorais não esquecem da origem do conjunto. "Elas têm um cunho de folclore. Embora sendo pós-imigração, contam histórias em talian do que aconteceu nesse período", comenta Manzoni, em referência ao dialeto que mistura italiano e português no Sul do país, reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural Imaterial e Língua de Referência Cultural Brasileira.   

Assim, misturando folclore, talian e mais um quê de ritmos gaúchos, a banda apresenta no Natal nos Vinhedos um repertório "mais voltado a músicas contemporâneas", porém sem perder o aspecto tradicional.   

Outro grupo fundado na italianidade é o Vocal Allegro, surgido em 2013 com a proposta de resgatar grandes canções do país europeu. "Desde o primeiro dia nosso propósito foi interpretar clássicos italianos, temas de novelas e filmes, os grandes sucessos. A música italiana teve total influência na brasileira, seja na Jovem Guarda, na MPB e até na Bossa Nova. É um pouco disso que queremos trazer, além de proporcionar muita diversão ao público", comenta Rafael Lumi, tenor da banda de Garibaldi, outra cidade vizinha a Bento Gonçalves, e que se apresenta no dia 16.   

A paixão pelo italiano é tamanha que até hinos pop do ABBA e dos Beatles ganham versões adaptadas à língua. "É uma questão relacionada às nossas origens. Sempre gostamos desse repertório e achamos que trazer grandes sucessos dessas bandas em italiano é uma forma de fazer um trabalho diferente e com o qual o público sempre possa se identificar", diz Lumi.   

No Natal nos Vinhedos, os espectadores ouvirão canções natalinas clássicas cantadas em italiano, como "Santa Claus is Coming to Town" ("Il Natale Arriva in Città") e "White Christmas" ("Bianco Natale"), além de novidades. "Estamos trazendo de volta ao repertório, por exemplo, uma música chamada 'Sarà perché ti Amo', que é um hit do TikTok. A música italiana tem e sempre terá seu espaço e fará parte das nossas vidas, não importa o lugar ou a geração", salienta o artista.   

O coração do tenor Dirceu Pastori segue pelo mesmo caminho.   

Continua após a publicidade

"Eu sempre canto aquilo que gosto, aquilo que gostei e aquilo que vou gostar, que é música italiana", diz. As razões para isso são simples. Dono de uma das vozes líricas mais admiradas do Rio Grande do Sul, Pastori começou a se apresentar ainda menino, nas festas de família no interior de Farroupilha, também na Serra Gaúcha, e as canções da Itália sempre fizeram parte do repertório.   

"As origens são profundas, e quando a música é boa, é legal de cantar", ressalta o tenor, que já fez shows com orquestras no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, no Paraná e em São Paulo, exibindo um repertório tanto erudito quanto popular. É isso o que ele vai mostrar no Natal nos Vinhedos em 9 de dezembro, com árias de ópera como "Brindisi" (da "Traviatta", de Verdi), canções folclóricas como "Funiculì Funiculà" e clássicos como "Con Te Partiro", além de músicas natalinas e hinos religiosos como "Ave Maria". "Desde pequeno eu canto músicas em italiano, e não vai ser depois de velho que eu vou trocar", garante.   

Fortemente presente na programação do Natal nos Vinhedos, a cultura italiana - expressa na gastronomia, na valorização da produção vinícola e, principalmente, por meio da musicalidade - é um dos elementos que tornam única a experiência do evento, na opinião da presidente do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), Marijane Paese. "Estar em meio aos vinhedos, apreciando todas essas atrações de forma combinada, é algo que encanta todos os sentidos, emociona e traz um sentimento incrível de pertencimento", diz.   

O Natal nos Vinhedos é realizado pelo CIC-BG, com promoção da prefeitura de Bento Gonçalves e Grupo RBS. O patrocínio ouro é de LNF Latino Americana, Vinícola Miolo e Unimed Nordeste.   

Patrocínio prata: Casa Valduga, Dalmóbile, Rodopac Brasil e SIM.   

Patrocínio bronze: CONSEVITS-RS, Cooperativa Vinícola Aurora, Meison Forestier, Multimoveis, Ricéfer, Salton, Supermercados Andreazza e Transporte Bertolini. Financiamento: Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cultura - Governo Federal - União e Reconstrução. (ANSA).   

Continua após a publicidade

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora