Papa Francisco pede esforço de paz até o Natal

VATICANO, 10 DEZ (ANSA) - Por Manuela Tulli - Mais um apelo, mais uma oração: o Papa falou neste domingo (10) mais uma vez sobre seu desejo de paz, em tempos de tantos conflitos.   

A esperança é ver algum passo concreto com a proximidade do Natal. Seu pensamento está na Ucrânia, sob as bombas. E depois na Terra Santa, dilacerada pela guerra por dois meses.   

Por isso, o papa Francisco, durante o Angelus, convidou os fiéis a continuarem "a rezar pelas populações que sofrem devido à guerra. Vamos em direção ao Natal: seremos capazes, com a ajuda de Deus, de dar passos concretos em direção à paz?", perguntou o Papa.   

"Não é fácil, sabemos. Certos conflitos têm raízes históricas profundas, mas também temos o testemunho de homens e mulheres que trabalharam com sabedoria e paciência pela convivência pacífica. Sigamos o exemplo deles, empenhemo-nos em enfrentar e remover as causas dos conflitos".   

"E, enquanto falamos de direitos humanos, protejamos civis, hospitais, locais de culto, libertemos reféns e garantamos ajuda humanitária", acrescentou o Papa Francisco, lembrando que é o 75º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.   

"Não esqueçamos a martirizada Ucrânia, a Palestina, Israel", pediu o Papa.   

Os primeiros passos em direção à paz vieram do Cáucaso: "Fico feliz com a libertação de um número significativo de prisioneiros armênios e azeris. Vejo com grande esperança esse sinal positivo para as relações entre Armênia e Azerbaijão e para a paz no Cáucaso Meridional, e encorajo as partes e seus líderes a concluir o tratado de paz o mais breve possível".   

A paz continua sendo o fio condutor dos discursos e apelos do Papa, que, saindo do período de bronquite, agora se volta para as celebrações de Natal.   

Entre os compromissos desta semana, a missa, na terça-feira, 12 de dezembro, para a festa de Nossa Senhora de Guadalupe, muito querida a todo o povo latino-americano.   

Continua após a publicidade

Depois, entrarão na agenda os compromissos que antecedem a celebração do Natal a cada ano. E pensando exatamente nesta festividade, no Angelus, o Papa Francisco convidou a retornar ao essencial, despojando-se do supérfluo e fazendo pausas no silêncio e na oração. "Sobriedade também na mídia e nas redes sociais", é o convite do Papa. (ANSA).   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes