Qual é o segredo de Viena, melhor cidade do mundo para se viver, segundo ranking

  • Roderick Eime/Creative Commons

Preço de moradia de qualidade e segurança são dois dos principais fatores que diferenciam Viena positivamente, segundo ranking da consultoria Mercer.

Viena está no topo da lista, a melhor da América Latina é Montevidéu e a pior do mundo é Bagdá, no Iraque.

A consultoria internacional Mercer publicou sua relação das cidades globais com melhor qualidade de vida, e a capital da Áustria ocupa o primeiro lugar, seguida por Zurique (Suíça) e Auckland (Nova Zelândia).

Cidades brasileiras ficaram abaixo da centésima posição no ranking: as melhores colocadas são Brasília (106º), Rio de Janeiro (118º) e São Paulo (121º).

Na América Latina, a capital do Uruguai, a melhor da região, ficou na 78ª posição. Santiago (Chile) e Buenos Aires (Argentina) aparecem em 93º e 94º lugar, respectivamente.

A lista é elaborada principalmente para empresas internacionais, afirmou Slagin Parakatil, pesquisador da Mercer que liderou a equipe do estudo.

A comparação, disse ele, tem como alvo "empresas e multinacionais que devem avaliar quanto mais pagar ou como compensar seus empregados por dificuldades que eles enfrentarão quando são enviados, por exemplo, de Londres a Buenos Aires", disse Parakatil à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC.

"Para elaborar a lista, focamos em dez critérios com pesos diferentes, subdivididos em 39 categorias, que incluem, por exemplo, segurança, incidência de doenças e qualidade de serviços médicos, educação e entretenimento".

Outros pontos avaliados são acesso à moradia, qualidade do ar e problemas de transporte, como congestionamentos.

O segredo de Viena

Viena encabeça a lista pela sétima vez. O que distingue a capital austríaca de outras cidades europeias como Londres ou Paris?

Um fator importante é a segurança cidadã, um dos critérios de maior peso na avaliação.

Outra vantagem, segundo o informe, é o preço e a qualidade da moradia.

A prefeitura local vem investindo em programas de construções subsidiadas, uma grande diferença da cidade em relação a metrópoles como Londres, onde o custo de um apartamento de qualidade bem localizado é bem mais alto.

"Ganhava um salário decente em Londres, mas ainda assim era difícil chegar ao fim do mês e quase nunca conseguia economizar", afirmou Adem Mutluer, britânico que vive há dois anos em Viena.

"Em Londres grande parte do meu salário ia para o aluguel de um quarto em um apartamento compartilhado. Em Viena, um bom apartamento de um ou dois quartos custa cerca de 800 euros (cerca de R$ 3,5 mil). É o mesmo que pagava em Londres por um quarto. Aqui ganho menos, mas a qualidade de vida é bem maior", acrescentou.

O britânico diz ainda que o transporte na capital da Áustria é "fantástico". "A combinação de metrô, trem urbano e ônibus torna muito fácil chegar a qualquer parte. E um passe para toda a cidade por um mês custa 32 euros (R$ 139), em vez das 120 libras (R$ 670) que pagava em Londres."

Há, porém, pontos negativos na cidade, diz Mutluer.

"O avanço do partido de (extrema) direita, o Partido da Liberdade da Áustria (FPO), contribuiu para uma antipatia crescente em relação aos imigrantes. Bairros mais afastados são muito mais pobres, e ali é possível ver refugiados pedindo esmolas nas ruas."

Ele cita ainda que a Áustria tem a maior proporção de fumantes jovens na Europa, e que ainda é legalizado fumar dentro de bares e cafés da cidade.

Geopolítica e ambiente

Observadores destacam que Viena se beneficiou de sua localização geográfica, sobretudo após a queda do Muro de Berlim, no final dos anos 1980.

A cidade se estabeleceu como "porta de entrada e centro para empresas que quisessem se instalar e se expandir na Europa Central", afirmou à imprensa britânica Martin Eichtinger, embaixador da Áustria no Reino Unido.

A renda per capita da Áustria é maior do que a da Alemanha e do Reino Unido, de acordo com o Banco Mundial.

Mas não é possível entender a boa colocação de Viena sem considerar os pontos negativos das outras cidades.

A poluição do ar fez Londres perder pontos em relação a outras capitais da Europa.

No caso de Londres, um dos fatores negativos é a contaminação ambiental. Paris perdeu dez posições desde os atentados de novembro, porque agora é tida como mais vulnerável a ataques extremistas.

Nos Estados Unidos, segurança e índices de criminalidade fazem com que a melhor cidade seja São Francisco, na 28ª posição. Nova York aparece em 44º lugar.

A poluição é um ponto crítico na Ásia. "Há extremos, como cidades na China em que a má qualidade do ar pode ser um problema de saúde durante todo o inverno", afirmou o pesquisador da Mercer.

América Latina

Na América Latina, afirmou Parakatil, há diferenças significativas entre os diferentes países, que explicam por que Montevidéu ocupa um posto mais alto do que outras cidades da região.

Montevidéu é a cidade da América Latina com melhor qualidade de vida, de acordo com a pesquisa.

A poluição do ar é um problema grave em Santiago; e na Argentina pesaram, segundo o coordenador do estudo, os últimos anos de "manifestações, agitação política e instabilidade econômica".

"O mesmo se aplica ao Brasil, onde a insegurança é um fator de peso em cidades como Rio e São Paulo", afirmou Parakatil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos