O que determina a hora de dormir e acordar?

Muito mais do que o cansaço e o despertador, são o ambiente social e o relógio biológico que determinam quando uma pessoa vai dormir ou acorda. E há também fatores genéticos: uns precisam dormir menos que os outros.

As pessoas em Singapura e no Japão são as que menos dormem durante a noite, em média 7 horas e 24 minutos e 7 horas e 30 minutos, respectivamente. Os brasileiros, com 7 horas e 36 minutos, também estão entre os que têm o sono mais curto. Os alemães descansam um pouco mais: dormem em média 7 horas e 45 minutos por noite. Já os holandeses são os que mais dormem: 8 horas e 12 minutos.

Pesquisadores da Universidade do Michigan, nos EUA, conseguiram, pela primeira vez, determinar padrões de sono mundiais com o uso do aplicativo Entrain, instalado nos smartphones de milhares de voluntários em 20 países.

O resultado, publicado pela revista científica Science Advances na sexta-feira (06/05), não detectou diferenças extremas na quantidade de horas dormidas, mas mostrou que cada meia hora a mais ou a menos de sono tem grandes efeitos sobre o desempenho do cérebro e também sobre a saúde, no longo prazo.

Hora de dormir e de acordar

Ao analisar os padrões de sono de 5,5 mil voluntários, os pesquisadores puderam notar que a hora de dormir geralmente não é determinada pelo cansaço físico, mas pelo ambiente e por normas sociais. "Todas as informações indicam que é a sociedade que regula a hora de dormir, e o relógio biológico, a hora de acordar. E que ir dormir mais tarde leva à perda de horas dormidas", observou um dos autores da pesquisa, o matemático Daniel Forger.

Compromissos na parte da manhã, como trabalho, escola e cuidar das crianças, influenciam, mas não são os únicos fatores que levam uma pessoa a despertar. Segundo a pesquisa, o relógio biológico têm um efeito maior sobre a hora de levantar do que o despertador.

Além dele, há a predisposição genética de cada um - algumas pessoas precisam de poucas horas de sono, outras, de muitas - e o cronótipo de cada pessoa - algumas são madrugadoras, outras "rendem mais" de tarde ou à noite. Tais fatores também devem ser levados em conta, pois desempenham um papel importante para determinar a hora de domir, além das influências do meio social.

Sono afeta o desempenho

O estudo mostrou ainda que homens de meia idade são os que dormem menos, muitas vezes bem abaixo das 7 ou 8 horas recomendadas. Entre os 30 e os 60 anos, as mulheres dormem cerca de 30 minutos a mais do que os homens.

A principal autora do estudo, a pesquisadora Olivia Walch, ressaltou que os resultados não determinam a quantidade de horas que um indivíduo deve dormir, mas apenas medem o tempo médio de sono. Ela ressalvou, porém, que a falta de sono pode reduzir significativamente o desempenho de uma pessoa.

"Bastam alguns dias de sono atrasado para uma pessoa se sentir como se estivesse bêbada", disse Walch. Porém, as pessoas fatigadas raramente percebem isso e exageram na hora de avaliar a sua disposição, afirmou.

O objetivo inicial do Entrain era ajudar as pessoas a lidar com os efeitos da fadiga causada pela mudança de fuso horário em viagens, o chamado jet lag. Os participantes informam ao aplicativo sua localização, as horas em que deitam e acordam e quantos tempo ficaram em ambientes fechados ou ao ar livre.

RC/dpa/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos