Polícia investiga atropelamento na Alemanha

Autoridades refutam onda de boatos nas mídias sociais de que suspeito seria imigrante muçulmano. Motorista, que teria avançado sobre pedestres, matando uma pessoa e ferindo duas, teve prisão decretada.A polícia alemã continuou neste domingo (26/02) as investigações sobre o incidente de sábado em Heidelberg, quando um carro avançou sobre pedestres em uma calçada, matando uma pessoa e ferindo duas. O motorista tentou fugir empunhando uma faca, tendo sido baleado pela polícia a poucos metros do local do incidente. Ele foi operado no abdômen e está fora de perigo. Em um primeiro interrogatório, no hospital, o condutor do carro não quis se pronunciar. As autoridades identificaram o suspeito como um estudante alemão de 35 anos, residente em Heidelberg e expediram ordem de prisão contra ele, que é acusado de homicídio, tentativa de homicídio e lesão corporal grave, entre outros delitos. O homem havia alugado o automóvel em Hamburgo, segundo a polícia da cidade vizinha de Mannheim, responsável pelo caso. O atropelamento aconteceu diante de uma padaria movimentada, situada no centro de Heidelberg. Um dos pedestres atingidos, um homem 73 anos, morreu pouco depois no hospital. Os outros dois, um austríaco de 32 anos e uma bósnia de 29 anos, receberam alta do hospital, com ferimentos leves. Boatos nas mídias sociais O motorista não tem antecedentes criminais. A polícia disse que não tem elementos para supor que o incidente foi um atentado, mas não descartou a possibilidade. Na manhã deste domingo, não havia informações sobre se o motorista tinha a intenção de ferir as pessoas com a faca que portava ao sair do carro. A polícia também enfatizou que o suspeito é um alemão, sem ascendência estrangeira, refutando diversas mensagens nas redes sociais, afirmando que o homem seria imigrante e muçulmano. Alguns internautas ofenderam os policiais, enquanto outros afirmaram que o incidente foi provocado por um muçulmano. "Vamos examinar os tuítes e avaliar se eles podem ser punidos por seu conteúdo", frisou o porta-voz da polícia de Mannheim, Norbert Schätzle. A polícia respondeu com aspereza atípica a muitos dos tuítes. "E dizemos novamente, para que todos entendam: o suspeito é um alemão, SEM ascendência estrangeira!", ressalta uma das mensagens postadas pelas autoridades. Mesmo assim, alguns internautas continaram a questionar a veracidade das informações oficiais. MD/dpa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos