PUBLICIDADE
Topo

Alemães, belgas e holandeses se unem contra usinas nucleares

26/06/2017 06h02

Milhares de manifestantes formam corrente humana na tríplice fronteira entre Alemanha, Bélgica e Holanda. Eles exigem o fechamento de dois reatores nucleares belgas com centenas de microfissuras em suas estruturas.Milhares de pessoas protestaram neste domingo (26/06) pelo fechamento de dois reatores nucleares na Bélgica por questões de segurança. Os manifestantes formaram uma corrente humana na região da tríplice fronteira entre Alemanha, Bélgica e Holanda.Os organizadores do protesto citaram que cerca de 50 mil manifestantes participaram do ato, dando as mãos da cidade alemã de Aachen até Liège, na Bélgica, e Maastricht, na Holanda. A corrente também passou perto da usina nuclear de Tihange, localizada cerca de 20 quilômetros a sudoeste de Liège.Os reatores Tihange 2 e Doel 3 levantaram preocupações quanto à segurança devido a microfissuras em suas estruturas. Doel fica no norte da Bélgica, próximo da cidade portuária de Antuérpia. Foram registrados numerosos incidentes de segurança – em maioria de nível baixo – nos dois reatores, que estão em funcionamento há mais de 30 anos.No ano passado, a ministra do Meio Ambiente da Alemanha, Barbara Hendricks, pediu à Bélgica o fechamento dos dois reatores até que as questões de segurança fossem esclarecidas. No entanto, o pedido foi rejeitado pelo órgão regulador nuclear da Bélgica.Aachen lança ações legaisInspeções recentes no reservatório de alta pressão revelaram 70 fissuras adicionais em relação ao controle anterior, em 2014. O resultado foi comunicado pelo ministro do Interior da Bélgica, Jan Jambon, há algumas semanas. Segundo a organização Nucléaire Stop, o órgão regulador nuclear belga encontrou um total de 3.219 indícios de danos no reator Tihange 2. Ativistas criticam há anos a operação da usina de Tihange. A cidade alemã de Aachen e cerca de 100 comunidades ao longo da região fronteiriça estão processando os operadores de Tihange 2. A manifestação deste domingo foi organizada por uma série de associações ambientais de Alemanha, Bélgica e Holanda e liderada pelo ator e diretor belga Bouli Lanners. Os prefeitos de Aachen e Colônia, no oeste da Alemanha, expressaram seu apoio à iniciativa."É a mensagem mais forte que a região poderia enviar", disse o chefe administrativo da região da cidade de Aachen, Helmut Etschenberg. "Não queremos mais viver com o elemento da incerteza que é Tihange 2 e continuaremos [a protestar]."Além de exigir o encerramento das usinas nucleares, os manifestantes pedem o fim das entregas de combustíveis às duas estações energéticas da planta nuclear de Lingen, no estado alemão da Baixa Saxônia. PV/afp/dpa/ap