Estátua de criador do fuzil Kalashnikov mostrava arma nazista

Após denúncia em rede social, criadores reconhecem que monumento em homenagem a inventor da AK-47, recém-inaugurado em Moscou, continha erro simbólico: o desenho de uma arma alemã. Estátua é reparada.A Rússia inaugurou nesta semana um monumento em homenagem a Mikhail Kalashnikov, criador do fuzil de assalto conhecido como AK-47. Como se não bastasse a polêmica da obra em si, foi revelado que um desenho da arma gravado em sua base, na verdade, era de um fuzil alemão. "Nós verificamos a informação sobre um erro [na estátua]. Foi confirmado. O escultor, Salavat Scherbakov, reconheceu seu erro", declarou nesta sexta-feira (22/09) a Associação Russa de História Militar, que encomendou o monumento. "Especialistas confirmaram que realmente se trata do desenho de uma arma alemã." O esboço em questão mostrava o fuzil de assalto Sturmgewehr 44, conhecido como StG44, desenvolvido durante o regime nazista e usado amplamente na Segunda Guerra Mundial. Especulações dizem que Kalashnikov usou o StG44 como inspiração para criar sua AK-47. O erro foi denunciado na noite desta quinta-feira pelo historiador russo Yuri Pasholok. "Não me diga que é uma coincidência", escreveu ele ao publicar no Facebook uma foto do desenho gravado na estátua e um esboço do StG44, a título de comparação. Pasholok acrescentou que, devido a um erro como esse, os criadores do monumento deviam sofrer um castigo "público doloroso". Segundo agências de notícias, a representação errônea da arma alemã já foi retirada da base da estátua. A AFP informou que um fotógrafo do veículo registrou o momento da reparação, realizada com uma rebarbadora, pequena ferramenta usada para cortar metais. A estátua de cerca de oito metros de altura de Kalashnikov fica num cruzamento no centro da capital da Rússia, Moscou. O projetista de armas está num pedestal, trajando roupas simples de trabalhador e segurando sua invenção cuidadosamente com as duas mãos – como se fosse uma criança. A inauguração da estátua, realizada na terça-feira passada apesar dos protestos de muitos residentes de Moscou, foi constantemente adiada desde janeiro, e o monumento foi levemente retrabalhado. A composição consiste de duas partes: em primeiro plano, a figura de Kalashnikov; ao fundo, há outra estátua, do arcanjo Miguel matando um dragão com uma lança. A cena simboliza "a eterna luta entre o bem e o mal", definiu o escultor Salavat Scherbakov, que ainda descreveu o fuzil Kalashnikov como uma "arma do bem". O fuzil de assalto AK-47 é conhecido em todo o mundo e há décadas é um dos poucos sucessos russos de exportação. De acordo com seu fabricante, mais de 70 milhões de Kalashnikovs já foram produzidos. A famosa arma celebra neste ano o seu 70º aniversário. EK/afp/efe/rtr/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos