Comissão Eleitoral russa rejeita candidatura de Navalny

Tido como principal adversário de Putin, opositor é impedido de concorrer à presidência devido a condenação em caso que ele diz ser fabricado. Após receber apoio de milhares de eleitores, ele convoca boicote às urnas.A Comissão Eleitoral Central da Rússia rejeitou nesta segunda-feira (25/12) a candidatura do líder opositor Alexei Navalny às eleições presidenciais de março de 2018. Navalny era tido como o adversário mais forte do presidente Putin, que concorrerá à reeleição.

Durante uma reunião pública, a comissão votou por unanimidade pela rejeição do processo de candidatura apresentado na noite anterior por Navalny, de 41 anos. Conforme a lei eleitoral da Rússia, para ser nomeado candidato à presidência, é preciso inicialmente reunir pelo menos 500 eleitores que manifestem apoio à candidatura antes de começar a coletar as mil assinaturas necessárias para oficialmente concorrer nas eleições.

Leia também: "Rússia não lidou com o passado"

Neste domingo, Navalny mobilizou milhares de seguidores em 20 cidades do país para ser nomeado ao pleito de março como candidato independente. Somente em Moscou, a nomeação do opositor foi apoiada por 742 eleitores.

O líder opositor foi condenado num caso de fraude que ele afirma ter sido "fabricado". A legislação eleitoral russa não permite candidatos com antecedentes criminais. Ele poderia se candidatar à presidência somente se recebe uma dispensa especial ou se sua condenação fosse cancelada.

Navalny é o adversário mais relevante que Putin, que busca um quarto mandato, enfrentou em todos os seus anos no poder. Os processos judiciais contra o opositor foram vistos como uma maneira de impedir sua candidatura.

Em fevereiro deste ano, um juiz considerou Navalny culpado por se apropriar de 10 mil metros cúbicos madeira no valor de centenas de milhares de dólares de uma empresa pública de exploração florestal, a Kirovless, em 2009, quando era assessor do governo regional de Kirov.

Após a decisão da comissão eleitoral nesta segunda-feira, Navalny convocou a população a boicotar as próximas eleições, como havia prometido na véspera.

"Não reconheceremos os resultados", disse numa mensagem divulgada logo após o anúncio da rejeição de sua candidatura. "Eu lhes garanto que um grande número de pessoas não vai comparecer a essa eleição."

Antes da votação na comissão eleitoral, Navalny afirmou que impedi-lo de se candidatar seria uma decisão não contra ele, mas contra todas as milhares de pessoas que apoiaram sua candidatura.

O líder opositor ganhou fama ao denunciar em seu blog a corrupção na administração pública. Navalny concorreu e ficou em segundo lugar na eleição à prefeitura de Moscou de 2012, recebendo 27,5% dos votos.

LPF/efe/lusa/rtr/ap

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos