PUBLICIDADE
Topo

Comércio entre EUA e UE somou mais de €1 trilhão em 2017

David Martin (ca)

22/06/2018 10h54

Em meio aos temores de que tarifas impostas tanto pela UE quanto pelos EUA sobre importação de alguns produtos possam avançar para guerra comercial, negócios entre americanos e europeus continuam fortes.Em relação ao volume de exportações da União Europeia, os Estados Unidos são o principal destino de mercadorias e serviços do bloco. Em 2017 o país absolveu 20% de todos os bens exportados pelos europeus.

No total, os americanos importaram 376 bilhões de euros em mercadorias da UE, enquanto as exportações americanas para os países do bloco somaram 256 bilhões de euros, de acordo com o Serviço de Estatística da União Europeia (Eurostat).

As exportações da UE para os EUA também foram quase duas vezes maiores do que para a China, segundo maior parceiro comercial do bloco. No quesito serviços, o comércio entre americanos e europeus totalizou outros 440 bilhões de euros em 2017, com um pequeno superávit para os EUA.



O que está sendo vendido?

O comércio entre os dois lados é dominado por produtos manufaturados e componentes. A maior parte das mercadorias europeias exportadas para os EUA é composta por:

• maquinaria (56 bilhões de euros)

• medicamentos embalados (47,6 bilhões de euros)

• veículos (47 bilhões de euros)

• equipamentos médicos e farmacêuticos (23,7 bilhões de euros)

Os EUA exportam bens semelhantes para a UE, embora em menos quantidade. No entanto os americanos detêm uma vantagem significativa sobre o bloco europeu quando se trata das exportações de motores e equipamentos para aeronaves, que em 2017 somaram, respectivamente, 28 bilhões e 25 bilhões de euros.

A Europa, no entanto, vem desfrutando de um superávit comercial substancial sobre os EUA, no tocante a mercadorias em geral. Esse superávit atingiu um pico em 2015, com 122 bilhões de euros, ficando em 120 bilhões de euros em 2017.



Serviços

Esse excedente, no entanto, é compensado pela presença ligeiramente mais forte dos EUA nas exportações do setor terciário. Segundo o Eurostat, em 2016, a UE importou 219 bilhões de euros em serviços dos EUA, enquanto o caminho inverso totalizou 218 bilhões de euros, marcando o primeiro déficit de serviços da Europa com os EUA em cinco anos.

As exportações de serviços da UE consistiram principalmente em:

• serviços técnicos, comerciais e outros serviços empresariais (27 bilhões de euros)

• transporte (30 bilhões de euros)

• serviços financeiros e de TI (28 bilhões de euros, cada)

As principais exportações de serviços dos EUA para o bloco europeu foram:

• cobranças pelo uso de propriedade intelectual (34 bilhões de euros)

• viagens (24 bilhões de euros)

• transporte (22 bilhões de euros)

Adicionados serviços e rendimento primário – certas transações financeiras, como pagamentos de juros – ao valor total do comércio entre os dois lados, os EUA apresentam um superávit real de 14 bilhões de euros em relação à UE.



Comércio Alemanha-EUA

De todos os países-membros da UE, a Alemanha é de longe o maior parceiro comercial dos EUA em termos de mercadorias. Com um total de exportações de 112 bilhões de euros em 2017, a Alemanha respondeu por quase 30% de todas as mercadorias vendidas da UE para os EUA.

Totalizando quase 40 bilhões de euros, os bens relacionados a transportes representaram 30% de todas as exportações alemãs para os EUA, a grande maioria, veículos. Os EUA continuam sendo o maior mercado nacional para os carros alemães.

O setor de maquinaria foi responsável por pouco mais de 30 bilhões de euros em exportações alemãs, enquanto os medicamentos embalados responderam por cerca de 10 bilhões de euros. Isso conferiu ao país, em 2017, um superávit de 66 bilhões de euros frente aos EUA.

No entanto a Alemanha ainda é o segundo maior mercado comprador europeu para os americanos, tendo importado 46 bilhões de euros em suas mercadorias no ano passado, atrás do Reino Unido (54 bilhões de euros), mas bem à frente da França (29 bilhões de euros).

Do lado americano, os carros continuam sendo os bens mais comumente exportados, representando 12% (6 bilhões de euros). Eles são seguidos pelos motores turbojato e a hélice, que juntos respondem por pouco menos de 8%, enquanto os remédios embalados somam 6%.



Alemães por cima também nos serviços

De acordo com o Escritório de Análise Econômica dos EUA, a Alemanha também teve um superávit comercial no setor terciário com os EUA, excluído o rendimento primário: enquanto os americanos exportaram 28,1 bilhões de euros em serviços para a Alemanha em 2017, eles importaram 30,4 bilhões de euros.

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram