Conteúdo publicado há 30 dias

Assessor da extrema direita alemã é preso por suspeita de espionar para a China

Um assessor do eurodeputado Maximilian Krah, do partido de ultradireita Alternativa para a Alemanha (AfD), foi preso na madrugada desta terça-feira (23/04) por suspeita de espionagem para a China, noticiaram a emissora alemã ARD e outros veículos da imprensa alemã.

Jian G., de 43 anos, que mora em Dresden e em Bruxelas, teria fornecido informações a um serviço secreto chinês em Pequim sobre oposicionistas chineses no exterior e sobre assuntos relacionados ao Parlamento Europeu.

G. era um "funcionário de um serviço secreto chinês", afirmou o Ministério Público Federal, em Karlsruhe. Em janeiro de 2024, o detido transmitiu repetidamente "informações sobre negociações e decisões no Parlamento Europeu para seu cliente do serviço secreto". Ele também espionou membros da oposição chinesa na Alemanha para o serviço secreto chinês.

China rejeita acusação de espionagem

Krah, que é o candidato cabeça de chapa da AfD para as eleições ao Parlamento Europeu, em junho, ainda não comentou as acusações contra seu assessor nem a detenção.

Em Pequim, o Ministério do Exterior da China rejeitou as acusações de espionagem relacionadas à prisão na Alemanha. Essas acusações teriam a intenção de difamar a China e de "destruir a atmosfera de cooperação entre a China e a Europa", declarou o ministério.

A AfD declarou que a prisão de um assessor de Krah "é muito preocupante". "Como atualmente não temos mais informações sobre esse caso, devemos aguardar o resultado da investigação", acrescentou o partido.

Espionagem de oposicionistas

O acusado, Jian G., foi preso em Dresden durante a madrugada. G. não é um estranho para as autoridades de segurança alemãs: ele teria se oferecido a elas como informante há pelo menos dez anos. Entretanto, aparentemente não houve cooperação. Na época, ele foi considerado pouco confiável e um possível agente duplo da China.

Continua após a publicidade

G. é de origem chinesa e cidadão alemão há vários anos. Ele veio para Dresden em 2002, como estudante, e também trabalhou como empresário. Por um tempo foi membro do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD).

Em 2023, o site de notícias alemão T-Online foi o primeiro a informar sobre as conexões duvidosas de Krah com a China, bem como sobre seu assistente G. e a fundação de empresas e associações com vínculos com a China.

Quando Krah entrou para o Parlamento Europeu pela AfD, em 2019, ele contratou G. como seu assessor. Nessa função, ele tinha acesso a informações parlamentares que teriam sido de grande valor para o serviço secreto chinês.

G. também há anos participa ativamente do movimento de oposição chinês no exterior. Ele teria usado suas conexões para espionar membros da oposição chinesa para o serviço secreto chinês.

Outras três prisões

A prisão se soma a de outras três pessoas ocorridas nesta segunda-feira, também por suspeita de espionagem para a China. Entretanto, os dois casos aparentemente não estão relacionados.

Continua após a publicidade

As prisões ocorreram poucos dias depois de uma viagem do chanceler federal Olaf Scholz ao país asiático, que é um dos principais parceiros comerciais da Alemanha.

Deixe seu comentário

Só para assinantes