PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Michel Temer diz que Marina Silva tem visão "autoritária"

29/08/2014 15h33

Brasília, 29 ago (EFE).- O vice-presidente Michel Temer rotulou a visão da candidata à presidência de Marina Silva, que ameaça as possibilidades de reeleição de Dilma Rousseff, de "autoritária"

"É preciso ter muito cuidado com essas pregações referentes a governar com pessoas e não com instituições", declarou Temer.

Ele se referia as declarações de Marina, candidata do PSB desde a morte de Eduardo Campos em um acidente aéreo, de que, se vencer as eleições, governará com "os melhores" de cada partido político e utilizará a via do referendo para assuntos-chave do país.

"Porque nós levamos muito tempo para ter instituições sólidas no nosso país. Essa visão é um pouco autoritária. No mundo todo temos exemplos de gente que quis governar por contra própria. No Brasil também", declarou ele.

Marina tem um discurso contra o que classifica como "velha política" e sustenta que o atual modelo "fracassou", por isso pede uma reforma política que reduza o número de partidos e abra novas vias de participação direta à sociedade.

"Pode criticar o número de partidos, eu mesmo critico muito o número excessivo. Acho que não é útil. Mas não (pode) destruir a ideia do partido político. Quando você traz pessoas de um partido, de outro partido e de outro partido, você no fundo está combatendo a estrutura político-partidária e assim você não governa. Você só abala as instituições", sustentou.

Temer também atribuiu à "emoção" provocada pela morte de Eduardo Campos ao inesperado crescimento das intenções de voto de Marina desde que foi escolhida candidata.

Conforme uma pesquisa divulgada na quarta-feira pela "CNT/MDA", Dilma vencerá no primeiro turno de 5 de outubro com 34,2% dos votos, seguida de Marina Silva (28,2%) e Aécio Neves (16%). A mesma pesquisa diz que, no segundo turno, caso esse resultado ocorra, Marina será escolhida presidente com 43,7% contra 37,8% de Dilma.

Essa pesquisa coincidiu em linhas gerais com outros realizados pelas empresas Ibope e Datafolha, que também apontaram a vitória de Marina Silva no segundo turno.

Internacional